14:47 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    6335
    Nos siga no

    O candidato presidencial democrata Joe Biden, em um comunicado divulgado nesta sexta-feira (29), disse que está furioso com o comentário do presidente dos EUA, Donald Trump, que sugeriu que a Guarda Nacional atire em manifestantes que protestam contra a morte de George Floyd no estado de Minnesota.

    Ao comentar a detenção de um jornalista negro da CNN "quando estava fazendo seu trabalho" enquanto "o policial branco que matou George Floyd continua livre", Biden se dirigiu ao presidente norte-americano.

    Não vou impulsionar o tweet do presidente. Não darei a ele essa amplificação. Mas ele está pedindo violência contra cidadãos americanos durante um momento de dor para tantos. Estou furioso, e você também deveria estar.

    Biden destacou que vai falar mais sobre os eventos em Minnesota ainda na sexta-feira (29).

    Na noite de quinta-feira (28), Trump alertou que os manifestantes que destroem e roubam negócios nas cidades de Minneapolis e St. Paul podem ser mortos por membros da Guarda Nacional.

    "Acabei de falar com o governador Tim Walz e lhe disse que o Exército está com ele o tempo todo. Qualquer dificuldade e assumiremos o controle, mas, quando os saques começarem, as filmagens começarão", escreveu Trump em um tweet que mais tarde foi sinalizado e ocultado pelo Twitter por violar as regras da plataforma social sobre glorificar a violência.

    Os distúrbios públicos surgiram na terça-feira (26) após a morte de George Floyd, um homem afro-americano que perdeu a vida na segunda-feira (25) depois de ser preso por policiais na cidade de Minneapolis.

    Um vídeo divulgado online mostra um policial branco, supostamente Derek Chauvin, prendendo Floyd no chão com o joelho no pescoço por vários minutos. Floyd diz repetidamente ao policial que ele não pode respirar até não responder. Floyd morreu em um hospital local logo em seguida.

    Mais:

    Biden pede menos sanções dos EUA ao Irã: não faz sentido agravar fracasso com crueldade
    Biden recebe apoio de Warren em demonstração de unidade democrata contra Trump
    Conversas vazadas entre Poroshenko e Joe Biden podem 'dar jeito' a Donald Trump nas eleições nos EUA
    Tags:
    segurança, violência policial, racismo, Guarda Nacional, Joe Biden, Donald Trump, Minnesota, EUA, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar