08:01 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrentando pandemia no fim de maio (69)
    6610
    Nos siga no

    O presidente norte-americano, Donald Trump, disparou mais um ataque verbal contra China, dizendo que Pequim poderia ter "facilmente" freado a pandemia e que agora está travando uma guerra de informação para escapar da responsabilidade.

    Trump atacou Pequim em uma enxurrada de publicações no Twitter, aparentemente em resposta à recente declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, que acusou o líder americano de "tentar enganar o público, difamar os esforços da China e transferir a culpa da incompetência dos EUA" ao lidar com a crise da COVID-19.

    ​O porta-voz fala estupidamente em nome da China, tentando desesperadamente desviar a dor e a carnificina que seu país espalhou pelo mundo. Sua desinformação e ataque de propaganda a Estados Unidos e Europa é uma desgraça...

    … Isso tudo vem de cima. Eles poderiam facilmente ter parado a praga, mas não o fizeram!

    O comentário da chancelaria chinesa veio após o envio de uma carta da Casa Branca à Organização Mundial da Saúde (OMS), ameaçando suspender permanentemente o financiamento americano se a organização não fizesse melhorias substanciais. Zhao pediu à comunidade internacional que continue apoiando a organização.

    "Implicando com a China enquanto evitavam e barganhavam suas próprias obrigações internacionais na OMS, os EUA obviamente calcularam mal a situação e fizeram um movimento mal direcionado", ponderou o porta-voz chinês.

    A carta da Casa Branca à OMS repetiu uma série de argumentos que o presidente Trump fez nas últimas semanas, acusando a organização de apresentar um viés pró-China e de ajudar Pequim a encobrir a gravidade do surto de coronavírus.

    Presidente da China, Xi Jinping, durante participação por videoconferência na Assembleia da Organização Mundial da Saúde (OMS), 18 de maio de 2020
    © AFP 2020 / Organização Mundial da Saúde
    Presidente da China, Xi Jinping, durante participação por videoconferência na Assembleia da Organização Mundial da Saúde (OMS), 18 de maio de 2020

    Washington inicialmente congelou o financiamento à OMS em abril sob as mesmas alegações, prometendo fazer uma revisão de sua resposta à crise do coronavírus, enquanto pedia a Pequim que aumentasse suas contribuições para a organização.

    A China rejeita as acusações de Trump e prometeu um financiamento adicional à organização de dois bilhões de dólares (R$ 11,3 bilhões) nos próximos dois anos.

    Tema:
    Mundo enfrentando pandemia no fim de maio (69)

    Mais:

    Trump dá ultimato à OMS após divulgar lista de 'erros' da organização no início da pandemia
    COVID-19: ONU diz que OMS é 'insubstituível' e que mundo paga 'preço alto' por ignorar conselhos
    Por pandemia, Trump diz que pode romper laços com a China
    Tags:
    acusações, Donald Trump, EUA, China, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar