03:44 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio (112)
    10518
    Nos siga no

    O governo dos EUA está observando de perto a China por seu suposto esforço para invadir e roubar pesquisas de vacinas dos EUA para o novo coronavírus, declarou o presidente Donald Trump durante uma coletiva de imprensa.

    "Estamos observando de perto", disse Trump nesta segunda-feira (11), quando questionado sobre se ele está preocupado que hackers chineses estejam tentando roubar pesquisas sobre vacinas nos EUA.

    Mais cedo na segunda-feira (11), a mídia norte-americana informou que o governo Trump planeja acusar a China de tentar roubar das instituições americanas propriedade intelectual e informações de saúde relacionadas às vacinas e tratamento contra a COVID-19.

    A pandemia da COVID-19 se originou na cidade chinesa de Wuhan, levando alguns da administração dos EUA, incluindo Trump e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, a afirmar que veio de um laboratório localizado lá.

    Na semana passada, Trump disse em uma entrevista à Fox News que acreditava que a incompetência, e não a intenção maliciosa, estava por trás do surto de COVID-19 da China. Trump ainda não divulgou evidências ao público de que a origem do vírus esteja vinculada a um laboratório de Wuhan.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) reiterou na semana passada que a sequência genômica publicada da COVID-19 prova que o vírus se originou naturalmente.

    Tema:
    Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio (112)

    Mais:

    Trump promete que EUA revelarão origem do coronavírus em breve
    'Queridinha' de Trump e Bolsonaro, hidroxicloroquina não tem eficácia contra COVID-19, diz estudo
    Obama descreve liderança de Trump sobre coronavírus como 'caótica' em teleconferência vazada
    Tags:
    Wuhan, OMS, saúde, diplomacia, novo coronavírus, COVID-19, hacker, roubo, vacina, Mike Pompeo, Donald Trump, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar