15:55 22 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    481
    Nos siga no

    Durante voo de homenagem em Nova Orleans, a funcionários da saúde que combatem a COVID-19 nos EUA, um bombardeiro B-52 perdeu uma pequena escotilha.

    No evento, pelo menos dois bombardeiros B-52 Stratorfortress da Força Aérea dos EUA sobrevoaram a cidade americana de Nova Orleans por volta das 10h30 locais (12h30 no horário de Brasília) nesta sexta-feira (1°).

    De repente, uma pequena escotilha se desprendeu de um dos bombardeiros.

    A peça acabou caindo em uma propriedade privada e não causou feridos, publicou o site de notícias NOLA.com.

    Logo após o incidente, a aeronave foi direcionada a uma base aérea, onde passará por uma investigação e reparos antes de poder voar novamente.

    É sabido que as aeronaves em questão foram produzidas cerca de 60 anos atrás, no calor da Guerra Fria.

    Médicos observam dois bombardeiros B-52, acompanhados por caças F-15, sobrevoando Nova Orleans em 1° de maio de 2020
    © AFP 2020 / Chris Graythen / Getty Images
    Médicos observam dois bombardeiros B-52, acompanhados por caças F-15, sobrevoando Nova Orleans em 1° de maio de 2020

    Voo de homenagem

    O voo de homenagem aos funcionários da saúde americanos foi organizado pela Força Aérea do país e pela Guarda Nacional do estado de Louisiana.

    "Agradecemos aos dedicados homens e mulheres na linha de frente que combatem a crise da COVID-19", disse em uma declaração o major-general James Dawkins Jr.

    Atualmente os EUA têm mais de um milhão de casos da doença, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, EUA.

    Mais:

    Bombardeiros Tu-160 da Rússia são escoltados por caças da OTAN no mar Báltico (VÍDEO)
    Motor supersônico do caça-bombardeiro Su-24M cria 'tornado dançante' (VÍDEO)
    Ministério da Defesa da Rússia recebe 2 bombardeiros Tu-160 após modernização (VÍDEO)
    Tags:
    Nova Orleans, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, homenagem, incidente aéreo, B-52, Bombardeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar