21:47 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Situação em torno da pandemia de COVID-19 no fim de abril (140)
    23200
    Nos siga no

    Agentes de saúde dos EUA contam como a falta crônica de equipamentos médicos e de planejamento estratégico comprometem a reposta dos EUA à propagação da COVID-19.

    A Sputnik conversou com agentes de saúde dos EUA que confirmam os dados divulgados pela Comissão de Fiscalização do Congresso dos EUA que estima que 90% do estoque nacional de equipamentos de proteção pessoal (EPI) já foram utilizados.

    Uma enfermeira da cidade de Cleveland, Ohio, contou que os agentes de saúde estão trabalhando "com as mãos atadas". A falta de EPI faz com que agentes trabalhem com o medo constante de serem infectados pelo novo coronavírus.

    "Temos vários membros da nossa equipe da área de UTI neonatal que testaram positivo. É estranho, porque não sabemos como eles podem ter sido infectados", contou a enfermeira.

    "Estamos usando máscaras cirúrgicas comuns durante o nosso turno de 12 horas. Estamos quase sem lenços humedecidos, por isso eu uso lenços com cloro e álcool em spray para me proteger. Luvas, máscaras e protetores faciais que temos que usar para interagir com os pacientes estão quase acabando."

    A enfermeira, que conversou com a Sputnik em condição de anonimato, diz ter medo de ser despedida por falar com a imprensa. Mas, como ela e seus colegas têm muito medo de ser infectados, a pressão psicológica do trabalho está cada vez mais insustentável.

    "Eu fico me perguntando se é realmente seguro. Você não pode dizer para um paciente que a enfermeira que está cuidando do filho dele pode ter sido exposta [ao novo coronavírus]", disse.

    "Meu maior medo é adoecer, porque nem sempre vou saber que estou doente, e posso acabar infectando pacientes e colegas."
    Quando o turno da enfermeira acaba, ela deixa suas roupas do lado de fora de casa, com medo de que o vírus entre também.

    "Todo o sistema de saúde está sob pressão. Eles dizem que os EUA têm o melhor sistema de saúde do mundo, mas isso não é verdade", desabafou. "Há três meses, vimos como a pandemia se espalhou na China. O governo federal [dos EUA] sabia e não fez nada. O planejamento foi terrível."

    Ela conta que os estados norte-americanos estão tentando obter equipamentos, mas o governo federal faz ofertas melhores e fica com as mercadorias.

    Enfermeira usa máscara protetora enquanto aguarda ambulância em hospital em Nova York, EUA, 20 de abril de 2020
    © REUTERS / Lucas Jackson
    Enfermeira usa máscara protetora enquanto aguarda ambulância em hospital em Nova York, EUA, 20 de abril de 2020

    "Eles precisam delinear um plano. Eu sinto que eles não estão levando a questão a sério."

    Relatório do Congresso dos EUA informou que o Departamento de Saúde e Recursos Humanos fez a sua última encomenda de respiradores N95, máscaras cirúrgicas, protetores faciais e luvas no início de abril. O restante dos estoques está sendo reservado para agentes de saúde do sistema federal e não deve ser redistribuído aos estados, informou o relatório.

    Uma enfermeira aposentada que vive no oeste dos EUA contou como a pandemia está afetando a sua categoria.

    "Quando coisas assim acontecem, todas as regras são ignoradas. É como pedir para um policial ir combater o crime sem um colete à prova de balas", disse.

    A enfermeira, que é veterana da Força Aérea dos EUA, afirmou que as consequências de enviar agentes de saúde sem proteção para a linha de frente são duradouras.

    "O sistema de saúde não vai se recuperar. As pessoas terão sintomas por anos, como aconteceu com o agente laranja", lembrou.

    A Organização Nacional de Médicos e Enfermeiros dos EUA está se mobilizando para solicitar melhores condições de trabalho durante a pandemia.

    A União Nacional das Enfermeiras (NNU, na sigla em inglês), o maior sindicato da categoria nos EUA, já havia alertado as autoridades sobre os riscos que os agentes de saúde estão correndo.

    Enfermeiras protestam contra retirada de medidas de isolamento social na frente da Casa Branca, sede do governo dos EUA, em Washington, 21 de abril de 2020
    © REUTERS / Leah Millis
    Enfermeiras protestam contra retirada de medidas de isolamento social na frente da Casa Branca, sede do governo dos EUA, em Washington, 21 de abril de 2020

    A NNU reagiu contra a decisão do Centro de Controle de Doenças de diminuir o padrão de proteção de agentes de saúde, permitindo aos hospitais que seus funcionários usem cachecóis ou mesmo bandanas para se proteger durante o atendimento aos pacientes.

    Os EUA são o país mais afetado pela COVID-19 mundialmente, com mais de 842 mil casos e 14.785 vítimas fatais.

    Tema:
    Situação em torno da pandemia de COVID-19 no fim de abril (140)

    Mais:

    Ganhador do Nobel diz que COVID-19 fez os EUA parecerem 'um país do 3º mundo'
    Quarentena deve ser mantida? Brasileiros debatem prós e contras das medidas de isolamento
    Como denúncias contra Bolsonaro no exterior podem impactar imagem do Brasil?
    Tags:
    EUA, saúde, luva, máscara, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar