03:06 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    130
    Nos siga no

    Com superlotação de 53% de seus presídios, a Colômbia registra rebeliões em pelo menos 10 penitenciárias, com detentos insatisfeitos com as medidas do governo contra a pandemia de coronavírus.

    Entre as cidades palco das rebeliões estão Bogotá, Jamundí, Cómbita e Ibagué, com os motins sendo registrados em unidades penitenciárias quer masculinas, quer femininas.

    Conforme publicou o jornal El Espectador, as ações se iniciaram durante a última noite e foram marcadas por incêndios.

    Tiroteios têm sido ouvidos, enquanto mensagens no WhatsApp, atribuídas aos condenados, mostram detentos pedindo armas aos seus comparsas.

    Assim está a situação neste momento fora do presídio La Modelo, em Bogotá.

    No presídio La Modelo, na capital do país, detentos se amotinaram no pátio da unidade aos gritos de "vamos para a rua".

    Cena semelhante foi filmada no presídio feminino Buen Pastor, também em Bogotá.

    Presídio de mulheres Buen Pastor não está alheio à emergência carcerária. Com panelas, mulheres exigem em Bogotá cumprir sua pena em condições seguras para não perder a vida diante ao iminente surto massivo de coronavírus.

    O levante tem sido resultado do temor de que a pandemia possa alcançar os prisioneiros, enquanto os mesmos acusam o governo de "adotar medidas de prevenção pouco eficazes".

    Em outro vídeo feito em La Modelo, ouve-se um dos detentos dizendo que "não somos ninguém para eles" e "somos abandonados como cachorros".

    Prisão de La Modelo

    Primeira morte no país

    As rebeliões se deram logo após a Colômbia anunciar a primeira morte pela COVID-19.

    Trata-se de um taxista de 58 anos que vivia na cidade de Cartagena, no norte do país.

    Por sua vez, o presidente Iván Duque decretou na semana passada uma quarentena obrigatória no país.

    Superlotação

    Ainda de acordo com a mídia, a superlotação do sistema carcerário colombiano passa dos 53%.

    Pelo menos 123.434 homens e mulheres estão presos, embora existam vagas somente para 80.373 pessoas nas celas do país.

    Além da superlotação, os detentos também reclamam de outras más condições nos presídios.

    Mais:

    Colômbia registra 1º caso de coronavírus
    Parlamento da Colômbia abre investigação contra Duque por compra de votos
    Guerrilha ameaça fazer paralisação armada na Colômbia, segundo mídia
    Tags:
    novo coronavírus, penitenciária, campo de detenção, presos, presídio, rebeliões, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar