11:08 31 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    130
    Nos siga no

    O presidente-executivo da Tesla propôs que a empresa comece a produzir ventiladores médicos para pacientes afetados pelo coronavírus. A oferta foi feita após os EUA apelarem para doações de máscaras respiratórias, em meio à escassez de equipamentos médicos no país.

    Na quarta-feira (18), a Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou diálogo com a China para acelerar a produção de ventiladores médicos, usados em pacientes com dificuldades de respiração e essenciais para infectados com a COVID-19.

    "Nós iremos produzir ventiladores [médicos] se houver escassez", escreveu Musk em sua conta no Twitter.

    A declaração foi feita após um fã do empreendedor sugerir que a Tesla reestruturasse uma de suas fábricas para produzir o equipamento médico. O comentário gerou resposta imediata de milhares de internautas.

    "Se, por qualquer que seja a razão, você acredita que não há escassez agora, todas as estimativas apontam que haverá. Por favor, ajude", escreveu um internauta.

    A administração Trump solicitou a fabricantes dos EUA que doassem máscaras respiratórias para hospitais e agentes de saúde engajados na luta contra o novo coronavírus.

    Empresas como a Foxconn, fornecedora da gigante tecnológica Apple, reestruturaram suas linhas de produção para produzir máscaras cirúrgicas e itens similares.

    Uma startup italiana afirmou ser capaz de produzir válvulas respiratórias em impressoras 3D e que poderia fornecê-las aos hospitais de graça.

    Médicos em fatos protectores transferem um paciente com coronavírus da unidade de terapia intensiva do Hospital Gemelli para o Hospital Columbus Covid em Roma, Itália, 16 de março de 2020
    © REUTERS / Luigi Avantaggiato
    Médicos em fatos protectores em um hospital em Roma, Itália

    Além da Tesla, empresas como a General Motors e a Ford Motors declararam estar em contato com a Casa Branca para fornecer ventiladores médicos, usados em pacientes com dificuldades de respiração.

    No mês passado, medidas similares foram tomadas na China, onde a fabricantes de veículos elétricos BYD passou a produzir cinco milhões de máscaras e 300 mil garrafas de desinfetantes para as mãos por dia.

    Na quarta-feira (18), a Tesla reduziu o número de funcionários trabalhando na sua fábrica na Califórnia, em meio a restrições impostas para combater a disseminação do novo coronavírus.

    A Tesla emprega mais de 10.000 funcionários nesta fábrica, localizada na cidade de Fremont, que é a única em território norte-americano.

    Mais:

    'Sem atalhos': Não apresse a vacina contra o coronavírus, alerta especialista
    São Paulo registra mais 2 mortes de idosos causadas pelo novo coronavírus
    Brasil precisa criar 'colchão social' para proteger trabalhadores do coronavírus, diz sociólogo
    Tags:
    máscara, novo coronavírus, Tesla
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar