02:04 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    370
    Nos siga no

    A busca por uma vacina contra o novo coronavírus é vital, mas não pode ser apressada e deve respeitar os protocolos de segurança padrão, alertou um especialista.

    "É essencial que trabalhemos o mais rápido e possível para desenvolver medicamentos e vacinas amplamente disponíveis em todo o mundo", escreveu Shibo Jiang, professor de virologia da Universidade de Fudan de Xangai e do Centro de Sangue de Nova York, na revista Nature.

    "Mas é importante não cortar custos", acrescentou.

    Jiang, que trabalha com vacinas contra o coronavírus desde o surto de SARS em 2003, afirmou que os reguladores devem avaliar a eficácia de qualquer vacina contra uma variedade de vírus e usar vários animais antes de realizar testes em seres humanos.

    Médicos com equipamentos de proteção entram em hospital para tratar pacientes com coronavírus em meio ao aumento de casos confirmados de COVID-19 em Daegu, Coreia do Sul, 8 de março de 2020
    © REUTERS / Kim Kyung-Hoon
    Médicos com equipamentos de proteção entram em hospital para tratar pacientes com coronavírus em meio ao aumento de casos confirmados de COVID-19 em Daegu, Coreia do Sul, 8 de março de 2020
    "Os governos estão compreensivelmente desesperados por algo que possa impedir as mortes, fechamentos e quarentenas resultantes da COVID-19", prosseguiu ele. "Mas combater esta doença exige uma vacina segura e potente".

    Especialistas alertaram que uma vacina pode demorar mais de um ano, uma vez que os ensaios clínicos precisam garantir que ela seja segura em humanos antes de serem distribuídos ao público em geral.

    Quase 200.680 pessoas em todo o mundo foram infectadas com COVID-19, com mais de 8.000 mortes registradas até esta quarta-feira.

    Mais:

    Bolsonaro chama COVID-19 de 'histeria', critica restrições e promete festa de aniversário
    Maior do que 'ameaça russa', COVID-19 faz EUA se retirarem de exercício da OTAN na Europa
    Pompeo alerta China sobre 'rumores estranhos' que ligam COVID-19 aos EUA
    Tags:
    COVID-19, saúde, vacina, vírus, novo coronavírus, Brasil, Europa, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar