03:40 24 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3 0 0
    Nos siga no

    O presidente dos EUA declarou em rede nacional que não acredita nos números da Organização Mundial da Saúde sobre o coronavírus. Apesar do ceticismo, a administração Trump recebeu US$ 8 bilhões do Congresso para combater o vírus.

    Nesta quinta-feira (05), o Congresso dos EUA aprovou um projeto de lei de emergência para combater o coronavírus e libertou US$ 8 bilhões (cerca de R$ 36 bilhões) em verbas para o executivo.

    A medida foi tomada um dia após o presidente norte-americano ter declarado não acreditar nos números apresentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) referentes à taxa de mortalidade do coronavírus, estipulada em 3,4%.

    "Eu acho que 3,4% é um número incorreto", disse o presidente à Fox News, admitindo que "isso é só um palpite".

    "Muitas pessoas vão ter isso", afirmou Trump referindo-se ao coronavírus. "E será bem leve [...] eles não vão nem chegar a ligar para um médico", previu.

    "Você não vai nem ouvir falar dessas pessoas [...] então esse número [a taxa de mortalidade definida pela OMS] é muito alto. Eu pessoalmente acho que o número deve ser inferior a 1%", disse o presidente dos EUA.

    'Eu continuo apertando a mão de todo mundo'

    Nesta quinta-feira (06), o presidente dos EUA declarou ignorar a orientação de especialistas, que recomendam evitar cumprimentar as pessoas com beijos ou aperto de mãos.

    "O fato é que eu continuo apertando a mão de todo mundo. E tenho orgulho disso", disse Trump. "Sabe, estamos ouvindo muita coisa sobre tentar não apertar as mãos das pessoas... mas isso não me inibe nem um pouco."

    Para o presidente dos EUA, ninguém pode seguir carreira na política sem cumprimentar as pessoas com aperto de mãos, reportou a Fox News.

    US$ 18 bilhões para combater o COVID-19

    O Senado dos EUA apoiou por ampla maioria o orçamento emergencial de US$ 8 bilhões (cerca de R$ 36 bilhões) para enfrentar a propagação da COVID-19.

    A verba também será destinada ao desenvolvimento de uma vacina contra a doença causada pelo coronavírus.

    No mesmo dia, o estado norte-americano da Califórnia declarou o estado de emergência em função da doença. Empresas que operam no estado, como a Google e o Facebook, orientam seus funcionários a trabalhar de casa, em um esforço para conter a propagação do vírus.

    Pelo menos 12 pessoas já faleceram em consequência da COVID-19 nos EUA, conforme reportou a NBC News.

    Mais:

    Peru confirma 1º caso de coronavírus no país
    Confirmado 1° caso de coronavírus na Bahia
    Coronavírus deverá fazer cair investimento chinês no Brasil, diz analista
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar