19:13 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    461
    Nos siga no

    A Procuradoria Geral dos EUA que está investigado se a companhia Boeing teria intencionalmente enganado a Administração Federal de Aviação (FAA) relativamente ao novo software de estabilização dos aviões 737 MAX, escreve o The New York Times.

    A gigante aeronáutica norte-americana disse que estava cooperando com a investigação do Departamento de Justiça dos EUA.

    Nos últimos meses, os procuradores interrogaram vários funcionários da Boeing, se concentrando em Mark Forkner, um ex-piloto de testes da Boeing, para saber se este teria mentido ao regulador (a FAA) sobre o funcionamento do novo software de controle de voo instalado nos aviões 737 MAX.

    O advogado do piloto em causa ainda não prestou quaisquer esclarecimentos sobre o assunto, aponta a Reuters.

    Forkner dissera anteriormente que ele próprio poderia ter enganado involuntariamente o regulador, de acordo com mensagens de texto trocadas entre dois funcionários da Boeing envolvidos na pilotagem e nos testes realizados em 2016.

    As mensagens sugerem que eles tinham conhecimento dos principais problemas relacionados com o software MCAS do Boeing 737 MAX, que dificultava o controle do avião e tem sido associado com os dois acidentes aéreos ocorridos na Indonésia e Etiópia, revela The New York Times. 

    O sistema automatizado de estabilização MCAS teria se comportado de forma errática durante os testes, antes da aeronave entrar em serviço.

    Trata-se de uma troca de opiniões alarmante ocorrida há três anos entre o então chefe dos pilotos de testes do MAX, Mark Forkner, e outro piloto da companhia. Na conversa entre os dois, eles comentavam o comportamento do sistema MCAS no simulador, dizendo que estava "desenfreado".

    "Então basicamente menti aos reguladores [sem saber]", disse Forkner. Explicando a seguir o que acontecia com a aeronave, disse que o avião estava se comportando "como louco" e tendo concluído que o que viu "foi atroz".

    Recentemente, os engenheiros da empresa norte-americana detectaram um novo erro no software no mesmo modelo de aviões, relacionado ao desempenho do sensor que alerta sobre o mau funcionamento no sistema de estabilização, escreve a Bloomberg.

    Mais:

    Airbus reassume liderança mundial após fiasco do 737 MAX da Boeing
    'Desenhado por palhaços e supervisionado por macacos': Boeing expõe mensagens internas sobre 737 MAX
    Tags:
    software, Boeing 737 MAX, FAA, aviação civil, EUA, aviões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar