23:56 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    8010
    Nos siga no

    O Departamento de Comércio dos Estados Unidos está ponderando impôr novas restrições à gigante chinesa de tecnologia, Huawei, para limitar o uso de equipamentos norte-americanos utilizados na fabricação de chips e, assim, reduzir o acesso da empresa à tecnologia, considerada vital.

    A informação foi publicada nesta segunda-feira (17) pelo jornal norte-americano Wall Street Journal.

    A possível medida permitiria que a agência exija licenças de fábricas de chips do mundo inteiro que quiserem usar equipamentos dos EUA para fabricar chips para a Huawei.

    Membros da indústria dos EUA, no entanto, disseram ao jornal que a medida poderia causar um duro golpe na cadeia global de fornecimento de semicondutores e sair pela culatra, atingindo as próprias empresas norte-americanas.

    Segundo as informações, não há unanimidade quanto à medida dentro do governo dos EUA e o próprio presidente Donald Trump ainda deve rever as medidas propostas. O jornal, entretanto, lembrou que Trump quer permitir que as empresas norte-americanas vendam seus equipamentos para a Huawei caso isso não ameace a segurança nacional dos EUA.

    Os EUA acusam a Huawei de colaborar com as Forças Armadas e a inteligência chinesas e de usar seus equipamentos para fins de vigilância ilegal, algo que a empresa refuta.

    Em maio de 2019, Washington colocou a Huawei em uma lista negra junto a cerca de 70 de suas afiliadas adquirindo tecnologia nos EUA e negociando com empresas norte-americanas sem autorização expressa do governo. Desde então, os EUA adiaram a proibição comercial em larga escala da Huawei várias vezes, mais recentemente em 18 de novembro do ano passado.

    Mais:

    Huawei vai instalar sistema operacional russo em seus servidores
    EUA acusam Huawei de roubar tecnologia americana há décadas
    Pompeo qualifica Huawei como 'cavalo de Troia' para roubo de dados
    Tags:
    China, Estados Unidos, Huawei
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar