17:04 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    9192
    Nos siga no

    O presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela, Diosdado Cabello, acusou nesta quinta-feira (13) o governo de Portugal e a empresa aérea TAP de serem coniventes com a tentativa de entrada de explosivos no território venezuelano.

    Cabello confirmou que as autoridades da Venezuela prenderam o tio de Juan Guaidó, Juan José Márquez, quando ele chegou a Venezuela nesta quarta-feira (12).

    Ele é acusado de terrorismo por supostamente ter transportado explosivos e coletes à prova de bala na viagem entre Lisboa e Caracas, feita em um avião da TAP. As informações foram publicadas pelo site SIC.

    Segundo Diosdado Cabello, o tio de Guaidó trazia "material muito perigoso dentro do avião" que seria utilizado em "operações desestabilizadoras na Venezuela".

    O governo de Nicolás Maduro disse que as lanternas trazidas por Márquez continham substâncias químicas de natureza explosiva, possivelmente explosivo sintético C4.

    A oposição disse que as provas foram plantadas e pediu a libertação imediata de Juan José Márquez.

    O Governo português garante que não houve qualquer contacto com a comitiva de Guaidó.

    Mais:

    Chanceler venezuelano acusa bancos de Portugal de receberem ordens dos EUA
    Governo da Venezuela incorpora a milícia como componente das Forças Armadas
    Maduro pede a jovens para pegarem em armas para defender Venezuela
    Tio de Guaidó é detido entrando na Venezuela por transportar explosivos, afirma Diosdado Cabello
    Tags:
    Juan Guaidó, terrorismo, terrorista, TAP, Portugal, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar