22:39 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    411
    Nos siga no

    Panfletos distribuídos na região colombiana de Catatumbo e atribuídos à guerrilha ELN ameaçam paralisação de vias públicas durante 72 horas na Colômbia.

    Embora as autoridades locais ainda não tenham confirmado que os panfletos sejam da autoria da guerrilha Exército de Libertação Nacional da Colômbia (ELN), a organização já realizou atos semelhantes no passado.

    Conforme publicou o jornal El Espectador, a paralisação armada traz consigo uma proibição imposta pelos guerrilheiros de livre movimentação em vias públicas da Colômbia.

    Ainda segundo as ameaças, qualquer pessoa que desrespeitar tal proibição seria alvo de ataques armados, mesmo que circule sob escolta do Exército colombiano.

    A paralisação ocorreria entre os dias 14 e 17 deste mês, enquanto somente pessoas enfermas ou parentes de falecidos, a caminho de funerais, poderiam viajar.

    Negociações com o governo

    Segundo a mídia colombiana, a suposta ação do grupo teria como objetivo reativar as negociações com o governo do presidente Iván Duque.

    O governo colombiano e o ELN efetuaram negociações de paz em fevereiro de 2017, mas com poucos resultados.

    Por sua vez, Iván Duque condicionou a retomada do diálogo ao fim dos sequestros e à libertação de pessoas mantidas em cativeiro pelo grupo guerrilheiro.

    Mais:

    Brasil entra como país observador nos exercícios militares entre Colômbia e EUA (FOTOS, VÍDEOS)
    Maduro diz que 'arrebentará os dentes' de Brasil e Colômbia em caso de agressão militar
    Caracas responsabiliza governo colombiano por rearmamento de ex-membros das FARC
    Tags:
    Iván Duque, ameaça, armas, Colômbia, ELN, guerrilha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar