17:26 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5206
    Nos siga no

    O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, rechaçou nesta quarta-feira (5) as ameaças feitas pelo presidente norte-americano, Donald Trump, contra a Venezuela.

    Além disso, o mandatário venezuelano afirmou que o objetivo do inquilino da Casa Branca é levar os EUA "para um conflito de alto nível" contra a Venezuela.

    "Eu propus o diálogo, querer o diálogo não é sinal de fraqueza, porém Trump está levando os EUA para um conflito de alto nível contra a Venezuela. Convoco os setores honestos dos EUA a enfrentarem sua política intervencionista, ilegal e imoral", disse Maduro.

    O presidente venezuelano também condenou o apoio que Trump tem dado ao opositor Juan Guaidó ao promover sua autoproclamação como suposto "presidente interino".

    ​Ontem Donald Trump falou em esmagar e quebrar a Venezuela. Esmagar um país que é o berço dos libertadores da América? Jamais alguém esmagará a Venezuela! Com trabalho e perseverança seguirá seu caminho rumo à prosperidade e à felicidade, afirmou Nicolás Maduro.

    "Na Venezuela, o presidente não é designado pelos EUA, é eleito pelo povo em mandato popular. Chega de sua obsessão extremista, Trump! Teremos as eleições legislativas para a Assembleia Nacional, senhor Donald Trump, e o covarde [Guaidó] que você pretende impor à Venezuela ficará desempregado", exclamou Maduro.

    "Esse também será seu fracasso, senhor Donald. Seus assessores estão te levando ao fracasso colocando esse fantoche a teu lado [...] Eles te encheram de derrota, mentira e manipulação", adicionou.

    Anteriormente, Trump prometeu "esmagar a tirania de Maduro" e apresentou Guaidó como o "verdadeiro e legítimo presidente da Venezuela" durante o discurso do Estado da União no Congresso norte-americano.

    Mais:

    Peru cria brigada policial para combater 'criminosos' da Venezuela
    Moscou comenta declarações de Pompeo sobre mudança de poder na Venezuela
    Pompeo: não há 'nenhuma evidência' que Maduro vá realizar eleições livres na Venezuela
    Tags:
    ameaça, governo, EUA, Nicolas Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar