17:16 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    15829
    Nos siga no

    Ao saudar líder opositor venezuelano Juan Guaidó, presente no discurso do Estado da União, Donald Trump disse que "tirania" do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, seria "esmagada". 

    O pronunciamento do presidente estadunidense foi feito na noite de terça-feira (5) na Câmara dos Representantes. 

    Em sinal de apoio a Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela, Trump o convidou para assistir a cerimônia. 

    O republicano o apresentou como "presidente legítimo da Venezuela", afirmando que Guaidó era um "homem que carregava consigo a esperança, sonhos e aspirações dos venezuelanos". 

    'Tirano que brutaliza o povo'

    "Maduro é um governante ilegítimo, um tirano que brutaliza seu povo", disse Trump, segundo publicado pela agência AFP. 

    "Mas o domínio da tirania de Maduro será esmagado e quebrado", prometeu. 

    Os EUA e cerca de 60 países, entre eles o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente interino da Venezuela. 

    Maduro, por sua vez, acusa o opositor de tentar derrubar um governo legítimo por meio um golpe de Estado com apoio dos EUA. 

    "Socialismo destrói as nações. Mas sempre recorde, a liberdade unifica as almas", disse Trump em seu discurso. 

    Em seu pronunciamento, Trump também prometeu endurecer as regras para entrada de imigrantes da América Latina nos Estados Unidos, justificando a decisão por crimes que seriam cometidos por estrangeiros. 

    Trump não cita impeachment

    O discurso do Estado da União acontece às vésperas do Senado votar seu pedido de impeachment.

    O presidente disse que os EUA estavam "mais fortes do que nunca" e que os "inimigos" da nação tinham "fugido". Ele enalteceu os números da economia norte-americana e não citou o processo de impeachment uma única vez em 78 minutos de discurso.

    Mais:

    Pompeo: não há 'nenhuma evidência' que Maduro vá realizar eleições livres na Venezuela
    Após se reunir com Guaidó, presidente francês defende eleições 'livres' na Venezuela
    Exercícios militares na Colômbia seriam instruções dos EUA para 'possível ataque' à Venezuela
    Venezuela anuncia retorno de mais 250 migrantes através do plano de repatriação
    Tags:
    Câmara dos Representantes, impeachment, Congresso, Nicolás Maduro, Juan Guaidó, Donald Trump, Estado da União, Brasil, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar