18:01 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    12164
    Nos siga no

    "Táticas violentas" dos protestos "são as mesmas", declarou ministro das Relações Exteriores da Venezuela após encontro com seu homólogo chinês em Pequim.

    Protestos em Hong Kong seriam muito parecidos com os acontecimentos na Venezuela, disse o ministro das Relações Exteriores do país sul-americano, Jorge Arreaza.

    Para o ministro venezuelano, há uma "tentativa de realizar uma revolução colorida em Hong Kong", tal como houve "na Venezuela em 2014 e 2017", reportou a AFP.

    "As similaridades são impressionantes", disse Arreaza.

    As declarações foram feitas após o encontro com seu homólogo chinês, Wang Yi, celebrado nesta quinta-feira (16) em Pequim.

    Arreaza notou que “as estratégias violentas de protestos que se dizem 'não violentos' são as mesmas, assim como a pressão sobre as forças de segurança”.

    Milhões de pessoas protestam nas ruas de Hong Kong desde junho. Inicialmente, os protestos eram contra um projeto de lei de extradição, que já foi abandonado.

    Protestos contra o governo na Venezuela
    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Protestos contra o governo na Venezuela

    Atualmente, a pauta de reivindicações dos manifestantes de Hong Kong se expandiu e inclui temas abrangentes, como mais liberdades democráticas e responsabilização da polícia.

    A Venezuela, país rico em petróleo, é alvo de sanções econômicas norte-americanas há décadas, em função das políticas implementadas no país desde a ascensão de Hugo Chávez ao poder, em 1999.

    Mais:

    Protestos que vemos na América Latina podem chegar ao Brasil, diz Gleisi Hoffmann
    Colômbia inicia processo de 'diálogo nacional' após protestos em massa
    Estados Unidos podem estar tentando capitalizar com protestos iranianos
    Tags:
    protestos violentos, protestos, Hong Kong, China, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar