09:15 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    12411
    Nos siga no

    Governo argentino decidiu não mais reconhecer Elisa Trotta Gamus como embaixadora da Venezuela após a mesma ter sido credenciada ano passado durante administração de Mauricio Macri.

    "Dirijo-me à senhora com o objetivo de comunicar que a partir do dia desta data se põe fim à sua missão [diplomática] especial na República Argentina e as suas funções no marco da mesma", declarou em nota feita ontem (7), a subdiretora do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores da Argentina, Mariángeles Bellusci, à Elisa Trotta Gamus.

    É válido lembrar que ainda em 11 de outubro passado Elisa Trotta Gamus havia sido reconhecida por Buenos Aires como chefe da missão diplomática venezuelana na Argentina. Anteriormente, a mesma havia sido escolhida pelo líder oposicionista venezuelano Juan Guaidó para ocupar o cargo.

    Contudo, desde a eleição do atual presidente argentino, Alberto Fernández, mudanças na forma do país ver a crise na Venezuelana foram esperadas.

    Reação

    Conforme publicou o jornal argentino Clarín, Trotta disse que continuará sendo porta-voz de Guaidó.

    "Estamos abertos a continuar o diálogo com o governo argentino. Sabemos que os argentinos querem recuperar a democracia na Venezuela", afirmou a ex-embaixadora.

    Anteriormente, o novo chanceler argentino, Felipe Solá, classificou as atividades diplomáticas de Trotta como "ilegais".

    "É ilegal, não vamos buscar desculpas. Pensamos que as relações são complexas, mas tampouco se pode violar a legislação para ter o embaixador que um quer", afirmou Solá ao jornal.

    Mais:

    Venezuela: Guaidó não é mais presidente da Assembleia Nacional
    Rússia doa 1,5 milhão de vacinas contra a gripe à Venezuela
    Maduro diz que Colômbia 'financia violência e golpe' contra Venezuela
    Tags:
    embaixadora, Venezuela, Argentina, Juan Guaidó
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar