10:11 31 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    19534
    Nos siga no

    Várias cidades dos Estados Unidos registraram neste sábado (4) protestos contra o bombardeio norte-americano que matou o general iraniano Qassem Soleimani, incluindo Washington e Nova York. 

    Em frente à Casa Branca, cerca de 200 pessoas se reuniam para criticar a política externa do governo do presidente Donald Trump, que ordenou a operação para executar o comandante da Força Quds, do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, nos arredores de Bagdá. 

    Os manifestantes gritavam palavras de ordem como "Sem justiça, sem paz, EUA fora do Oriente Médio". O protesto foi convocado por organizações de esquerda norte-americanas e aconteceu em várias localidades.

    Bandeiras do Irã em Times Square

    Em Nova York, o ato foi realizado em Times Square. Alguns presentes portavam a bandeira do Irã ou imagens de Soleimani. 

    De acordo com os líderes do movimento, houve manifestações em cerca de 70 cidades. O ataque norte-americano contra um dos mais importantes líderes iranianos gerou medo de uma escalada de violência no Oriente Médio. Vários analistas e políticos ao redor do mundo consideraram o bombardeio um gesto grave.

    "Não vamos deixar que nosso país seja levado a mais uma guerra imprudente", disse um manifestante do lado de fora da Casa Branca, segundo citado pela agência AFP. 

    Em Bagdá, cortejo fúnebre com gritos de 'morte aos EUA'

    Em Bagdá, o cortejo fúnebre do general reuniu milhares de pessoas. A procissão marcou o primeiro de quatro dias de luto e cerimônias em homenagem a Soleimani.

    Durante o ato, que contou com a presença de várias autoridades, houve gritos de "morte aos EUA". O Irã havia prometido vingança por sua morte

    O corpo do líder iraniano será agora levado de volta ao Irã, onde será realizado um funeral na sua cidade natal.

    Mais:

    EUA precisariam de milhões de soldados em guerra com Irã, segundo almirante britânico
    Irã convida Turquia a unir forças contra os EUA
    'E se Trump atacar instalação do PCC que refina drogas para os EUA?', questiona ex-chefe do GSI
    Morteiros atingem áreas no norte do Iraque perto de instalações usadas por soldados americanos
    Tags:
    Qassem Soleimani, Nova York, Washington, Casa Branca, paz, protestos, manifestação, conflito, guerra, Estados Unidos, EUA, oriente médio, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar