21:02 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    121
    Nos siga no

    O Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) da Bolívia marcou para domingo, 3 de maio, as novas eleições gerais no país, que substituirão a ordem constitucional após a anulação das eleições de 20 de outubro, anunciou Oscar Hassenteufel, um dos membros do órgão.

    "Na segunda-feira, tudo será publicado [e as eleições serão] no primeiro domingo de maio, somente até aqui que posso adiantar", disse o magistrado eleitoral em breve conversa com repórteres na cidade de Sucre, informou a mídia local.

    A declaração de Hassenteufel confirmou a data em que políticos e analistas consideraram o mais provável para as eleições, concordando como uma saída da crise desencadeada pelos protestos contra a reeleição do ex-presidente Evo Morales.

    Após a renúncia forçada de Morales em 10 de novembro e sua substituição pela senadora Jeanine Áñez, que se proclamou presidente de transição dois dias depois, os partidos representados no parlamento concordaram em cancelar as eleições de outubro e convocar uma nova votação geral no menor tempo possível.

    Em execução desse acordo, o parlamento nomeou um novo TSE, que concedeu até 6 de janeiro para emitir o chamado para eleições, que deve ser realizado o mais tardar 120 dias depois.

    Um segundo turno eventual aconteceria até 45 dias após a votação de 3 de maio, de acordo com a atual lei eleitoral.

    A data de transmissão do comando ao novo presidente eleito ainda não foi fixada.

    Mais:

    Bolívia expulsa diplomatas do México e Espanha, que responde com expulsão de bolivianos
    Evo Morales acusa EUA de serem 'cúmplices do golpe' na Bolívia 'como nos tempos do Plano Condor'
    Justiça eleitoral da Bolívia autoriza participação de partido de Evo nas eleições
    Tags:
    democracia, votação, exílio de Evo Morales, Evo Morales, eleições, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar