02:03 22 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    141626
    Nos siga no

    O governo interino da Bolívia decidiu expulsar os representantes diplomáticos da Espanha e do México e deu um prazo de 72 horas para que os mesmos deixem o país sul-americano.

    A decisão, tomada em meio a tensões internacionais criadas após a renúncia do então presidente Evo Morales e da autoproclamação de Jeanine Áñez como chefe de Estado boliviana, foi anunciada nesta segunda-feira pela conta oficial do Ministério da Presidência no Twitter: 

    ​A presidente Jeanine Áñez declara personas non gratas a embaixadora do México, María Teresa Mercado, a encarregada de negócios da embaixada da Espanha, Cristina Borreguero, e o cônsul desse país, Álvaro Fernández. Têm 72 horas para abandonar o país.

    Pouco depois da divulgação da medida, o governo do México publicou um comunicado afirmando que já instruiu sua embaixadora a deixar a Bolívia por motivos de segurança e para preservar sua integridade.

    "A Secretaria de Relações Exteriores instruiu a embaixadora Mercado a retornar ao México para proteger sua segurança e integridade. A Embaixada do México na Bolívia ficará a cargo de Ana Luisa Vallejo, atual chefe da Chancelaria da Missão. Nossa representação continuará funcionando normalmente após esse movimento", diz a nota.

    A manobra anunciada pelo governo interino da Bolívia segue a um episódio delicado envolvendo os três países. Na última sexta-feira, supostos diplomatas espanhóis encapuzados e possivelmente armados tentaram entrar clandestinamente na Embaixada do México em La Paz, sendo impedidos pela polícia. As suspeitas são de que eles eles buscavam acesso a cerca de dez funcionários do governo de Morales que se encontram asilados no local. 

    ​A Bolívia não é mais a colônia de ninguém. A democracia recuperada é respeitada. Presidente Jeanine Áñez sobre encapuzados da Espanha. Esse grupo de representantes prejudicou gravemente a soberania e a dignidade do povo e do governo constitucional da Bolívia.

    De acordo com a chancelaria boliviana, a expulsão dos três representantes estrangeiros do país não significa ruptura dos laços diplomáticos com suas respectivas nações. La Paz espera apenas que tanto a Espanha como o México nomeiem novos funcionários para substituir "esses que violaram a soberania e desrespeitaram normas bolivianas".

    Espanha expulsa 3 diplomatas bolivianos

    O governo espanhol decidiu fazer uma medida de retaliação ao governo de fato da Bolívia e expulsou três diplomatas bolivianos do país.

    "O governo espanhol, que até agora mantinha uma atitude muito cautelosa, decidiu responder com a expulsão de três diplomatas bolivianos credenciados em Madri", escreveu o jornal El País em sua edição digital.

    Mais:

    Evo Morales: 'Continuo sendo legalmente presidente da Bolívia'
    Ameaçado de prisão, Morales desafia opositores e diz que voltará à Bolívia
    Evo Morales acusa EUA de serem 'cúmplices do golpe' na Bolívia 'como nos tempos do Plano Condor'
    Tags:
    cônsul, embaixadora, diplomatas, relações internacionais, relações diplomáticas, Evo Morales, La Paz, Espanha, México, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar