11:25 25 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    6112
    Nos siga no

    Um correspondente da Reuters fotografou uma centena de fuselagens abandonadas do avião Boeing 737 Max, cuja produção foi interrompida por um período indeterminado.

    A foto, mostrando dezenas de fuselagens do Boeing 737 Max, ilustra os problemas enfrentados pela companhia norte-americana Boeing e foi tirada pelo correspondente da Reuters em Wichita, no Kansas.

    Fuselagens de aeronaves aos Boeing 737 Max destinadas à unidade de produção permanecem armazenadas em seu fornecedor em Wichita, Kansas.

    Nesta segunda-feira (16), o gigante da aeronáutica aceitou suspender a produção a partir de janeiro por um período indeterminado.

    Os voos do 737 Max foram cancelados desde março após diversos acidentes que resultaram em 346 mortos. Ainda que a empresa tenha prometido que seu principal avião voaria até o fim do ano, a Administração Federal de Aviação Americana (FAA, na sigla em inglês) indicou que isso não ocorreria antes de 2020.

    Duro golpe para a Boeing

    Atualmente, aproximadamente 400 aeronaves 737 Max já construídas aguardam a liberação da entrega. O avião representa 80% das encomendas da Boeing, e a incerteza sobre o calendário de entrega representa um duro golpe para a construtora.

    Boeing assegura que a paralisação não terá repercussões em sua equipe de produção, que conta doze mil pessoas envolvidas na fabricação do modelo, podendo ser deslocados para outras tarefas.

    Mais:

    Boeing teria recusado oferta de US$ 85 bilhões do Pentágono
    Linha aérea australiana abre mão à Boeing e escolhe Airbus para voos mais longos do mundo
    Queda de caça da Boeing causará prejuízo de US$ 85 milhões à Austrália
    Tags:
    Aeronáutica, aeronave, Boeing 737, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar