18:15 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    150
    Nos siga no

    Possíveis destroços, espuma e itens pessoais de passageiros e tripulação do avião C-130, da Força Aérea Chilena, que desapareceu com 38 pessoas a bordo, foram encontrados nesta quarta-feira (11). 

    A Força Aérea do Chile anunciou por meio do Twitter que a embarcação Antartic Endeavour, de bandeira chilena, encontrou "restos de espuma flutuando no mar a 30 quilômetros ao sul da última posição de contato do C-130", que se dirigia para uma missão na Antártica. 

    Segundo os militares, o material possivelmente faz parte dos tanques internos localizados na asa do avião. Os objetos estão sendo levados para o continente para perícia, e assim determinar se realmente são da aeronave chilena.

    Imagens dos restos de espuma e da área onde foram encontrados

    O C-130, que saiu de Punta Arenas, tinha como destino a Base Aérea Antártica Presidente Eduardo Frei, onde seriam realizadas tarefas de apoio logístico. Segundo a Força Aérea do Chile, das 38 pessoas a bordo, 17 eram tripulantes e 21 eram passageiros. 

    Além disso,  Bolsonaro informou pelo Twitter que o Navio Polar Almirante Maximiano, da Marinha brasileira, encontrou "itens pessoais e destroços compatíveis com a aeronave Hércules C-130, da Força Aérea do Chile, que estava desaparecido desde a madrugada de terça-feira (10)". 

    ​O presidente disse ainda que "as partes do avião e os objetos estavam a aproximadamente 280 milhas náuticas (518 km) de Ushuaia, na Argentina", e que o navio brasileiro "permanece na área de busca em ações coordenadas com autoridades chilenas e duas lanchas do navio continuam a recolher destroços.

    As possíveis causas da queda do avião ainda estão sendo investigadas. 

    Mais:

    Governo faz projeção 'subestimada' das exportações militares do Brasil, diz especialista
    Selfie teria provocado colisão de 2 aviões militares dos EUA em 2018
    Militares são vistos no ar balançando pernas para fora de um avião C-130 Hercules (FOTOS)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar