03:00 08 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    436
    Nos siga no

    Anteriormente, o Pentágono conversou com diversos mineradores de terras raras em todo o mundo, como plano de reduzir a dependência dos suprimentos chineses de minerais importantes.

    Um documento dos EUA, citado pela Reuters, indica que os militares norte-americanos pretendem investir na construção de instalações de processamento de terras raras no território estadunidense.

    Esse investimento faria parte dos planos de Washington de promover o suprimento doméstico de minerais, utilizados na fabricação de armas.

    "A indústria de terras raras dos EUA precisa de ajuda para competir com os chineses. Não é apenas uma questão de dinheiro, mas também uma visão de apoio de Washington", segundo Jim McKenzie, presidente-executivo da UCore Rare Metals Inc (UCU.V), que atualmente desenvolve um projeto de terras raras no Alasca.

    O desenvolvimento do projeto pode custar entre US$ 5 milhões (R$ 21 milhões) e US$ 20 milhões (R$ 83 milhões), entretanto, no caso da construção de um fábrica completa, o custo ficaria em torno de US$ 100 milhões (R$ 414 milhões).

    Loja de venda de armas nos EUA
    © AP Photo / Ed Andrieski
    Loja de venda de armas nos EUA

    No início do ano, o Pentágono manteve conversas com diversos mineradores de terras raras, como a Mkango Resources Ltd do Malawi e a Rainbow Rare Earth Ltd do Burundi.

    "Estamos procurando qualquer fonte de suprimento fora da China. Queremos a diversidade. Nós não queremos um único produtor", afirmou o engenheiro Jason Nie, da Agência de Logística do Departamento de Defesa dos EUA.

    Mais:

    OTAN existe para vender armas e empregar burocratas em Bruxelas, declara senador dos EUA
    EUA reagem à postura da Coreia do Norte e convocam reunião do Conselho de Segurança da ONU
    EUA teriam realizado ao menos 3 ataques mortais com mísseis secretos neste ano
    Tags:
    eua, recursos naturais, recursos, equipamentos militares, armas, recursos minerais, minerais, terras
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar