17:53 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente norte-americano Donald Trump durante encontro da OTAN em Londres

    'Amigo' de Kim, Trump alerta que pode usar 'exército mais poderoso do mundo' contra Coreia do Norte

    © REUTERS / Kevin Lamarque
    Américas
    URL curta
    36740
    Nos siga no

    O presidente estadunidense Donald Trump acredita que salvou o mundo de uma grande guerra ao estender a mão e fazer amizade com o líder norte-coreano Kim Jong-un, mas acrescentou que ainda pode liberar todo o poder militar contra Pyongyang se necessário.

    As declarações, envoltas em um misto de pedido de paz e ameaças de guerra, vieram do líder dos EUA nesta terça-feira, depois que autoridades norte-coreanas reclamaram que as negociações nucleares entre as duas nações não estavam indo a lugar algum.

    Trump elogiou a maneira como lidou com a Coreia do Norte, alegando que "se você tivesse ouvido o presidente [Barack] Obama, estaríamos em uma Terceira Guerra Mundial agora".

    O presidente dos EUA assumiu o crédito por neutralizar o conflito com a Coreia do Norte, promovendo um bom relacionamento pessoal com Kim. Ele destacou que provavelmente é "o único com quem ele tem um relacionamento tão bom no mundo".

    Presidente dos EUA Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un durante encontro na zona demilitarizada, 30 de junho de 2019
    © AP Photo / Susan Walsh
    Presidente dos EUA Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un durante encontro na zona demilitarizada, 30 de junho de 2019

    As tensões na península coreana atingiram um ponto alto no ano passado, depois que Pyongyang testou com sucesso um míssil balístico com alcance suficiente para atingir a costa oeste dos EUA. Trump na época ameaçava aniquilar a Coreia do Norte, mas depois mudou de rumo e negociou um acordo com Kim, que por sua vez descrevia o desejo de desnuclearizar a região em troca do levantamento de sanções.

    Passar desse acordo para medidas concretas provou ser difícil, no entanto. A última rodada de negociações em outubro não resultou em nenhum progresso significativo. A irritação de Pyongyang com a situação foi manifestada pelo vice-ministro de Relações Exteriores, Ri Thae-song, que disse nesta terça-feira que cabia a Washington decidir que tipo de presente receberia no Natal.

    Trump afirmou que não tem pressa em declarar como morto o processo de negociações, mas alertou que ele tem os militares mais poderosos do mundo à sua disposição.

    "Somos de longe o país mais poderoso do mundo e esperamos não ter que usá-lo. Mas se o fizermos, vamos usá-lo. Se for necessário, faremos", completou.

    Mais:

    Cidadão dos EUA é indiciado após visitar a Coreia do Norte
    Piloto dos EUA teria ficado ferido durante pouso de F-16 na Coreia do Sul
    Kim Jong-un inaugura cidade perto de venerada montanha na Coreia do Norte (FOTOS)
    Tags:
    ameaças, negociações, sanções, Terceira Guerra Mundial, armas nucleares, relações bilaterais, diplomacia, desnuclearização, Kim Jong-un, Donald Trump, Pyongyang, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar