16:52 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    657
    Nos siga no

    A operadora de televisão a cabo boliviana Cotas informou que deixará de fornecer o canal russo RT em espanhol. Decisão similar foi tomada no Equador no início do mês, gerando preocupação em relação à liberdade de imprensa na região.

    A operadora Cotas, líder de mercado na Bolívia, não informou o motivo da decisão, tomada pelo seu conselho diretor. Conforme informou o site do canal de televisão RT, a emissão será cortada a partir do dia 2 de dezembro:

    "A decisão foi tomada pela administração da empresa, fomos simplesmente instruídos a parar de transmitir o canal", disse a emissora à Sputnik.

    O vice-presidente deposto da Bolívia, Álvaro Garcia Linera, comentou a decisão:

    'Não há nem liberdade de expressão, nem liberdade de imprensa, não podemos expressar nossas opiniões [na Bolívia]", declarou Linera.

    Restrição à liberdade de imprensa

    O canal russo RT tem enfrentado bloqueios em diversos países. Em abril do ano passado, a emissão do RT foi retirada do pacote de TV por cabo da capital americana, Washington D.C.

    Apesar de a empresa responsável, a MHz Networks, dizer que o bloqueio ocorreu devido a uma "mudança tecnológica", a editora-chefe da emissora, Margarita Simonyan, acredita que a decisão decorreu da classificação do RT como "agente estrangeiro" nos EUA.

    Margarita Simonyan, editora-chefe da Sputnik e RT, foto de arquivo
    © Sputnik / Vladimir Trefilov
    Margarita Simonyan, editora-chefe da Sputnik e RT, foto de arquivo

    Mais recentemente, em novembro, o RT foi bloqueado no Equador, sem aviso prévio nem esclarecimentos em relação ao motivo.

    De acordo com o ex-presidente do Equador, Rafael Correa, que tem um programa de entrevistas no canal ("Conversando com Correa"), o bloqueio configura censura e mostra a falta de compromisso do atual governo do país com a liberdade de imprensa.

    Mais:

    Chanceler russo diz que não credenciamento da Sputnik em conferência no Reino Unido divide a mídia
    'Vigilância': Facebook e Google 'ameaçam direitos humanos' com captura de dados, diz Anistia
    Editora-chefe do RT e Sputnik convida Evo Morales para ser âncora de programa
    Tags:
    vice-presidente, Margarita Simonyan, RT, equador, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar