18:17 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1081
    Nos siga no

    A autoproclamada presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, declarou no último domingo (17) que anunciará a convocação de novas eleições em breve.

    De acordo com Jeanine Áñez, o governo está ciente da urgência de realização de novas eleições na Bolívia.

    "Informamos que em breve daremos notícias sobre a convocação de eleições transparentes e a recuperação da credibilidade democrática de nosso país", disse ela.

    Ao comentar a situação do ex-presidente Evo Morales, Jeanine Áñez afirmou que, em caso de retorno ao território boliviano, Morales terá que responder à Justiça.

    "Se o presidente Morales [quer] voltar [à Bolívia], que volte, mas ele sabe também que terá que responder à Justiça. Vamos exigir que a justiça boliviana faça seu trabalho, não faça uma perseguição política, pois isso é o que viemos sofrendo nos últimos 14 anos, a judicialização da política ou a politização da justiça", declarou.

    Evo Morales, por sua vez, acusou o governo interino de ter instalado uma ditadura no país.

    "Em vez de pacificação, ordenam difamação e repressão contra os irmãos do campo que denunciam o golpe de estado. Após o massacre de 24 indígenas, eles agora preparam um Estado de Sítio. Seria a confirmação de que, pedindo democracia, eles instalaram uma ditadura", disse Morales.

    A instabilidade política na Bolívia se instaurou há cerca de um mês após a oposição não reconhecer o anúncio da reeleição de Evo Morales nas eleições presidenciais. 23 pessoas morreram nas manifestações no país.

    Mais:

    Presos na Bolívia, médicos cubanos foram liberados e voam rumo a Cuba
    Governo interino da Bolívia ameaça prender partidários de Morales por 'subversão e rebelião'
    Evo Morales pede diálogo nacional por temer guerra civil na Bolívia
    Tags:
    governo interino, eleições, Evo Morales, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar