12:16 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    12214
    Nos siga no

    O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, prometeu nomear seus representantes “diplomáticos” na Bolívia após a renúncia de Evo Morales e a formação do governo interino, liderado por Jeanine Áñez, informou a mídia.

    No sábado (16), Guaidó e Áñez discutiram a situação em ambos os países durante uma conversa via Skype, transmitida pela rede de televisão estatal BoliviaTV. O líder da oposição anunciou que vai nomear seus representantes na Venezuela em poucos dias.

    Durante a conversa, ambos os políticos denunciaram Nicolás Maduro e Evo Morales, com Áñez dizendo que "aqueles que se dizem socialistas do século XXI destroem tudo".

    A nova ministra das Relações Exteriores da Bolívia, Karen Longaric, anunciou no dia 15 de novembro a expulsão do corpo diplomático venezuelano relacionado com o governo de Nicolás Maduro, depois que a presidente interina boliviana Áñez reconheceu Guaidó como o presidente legítimo da Venezuela.

    Em outubro, Morales obteve uma vitória decisiva no primeiro turno da eleição presidencial, mas seu principal adversário, Carlos Mesa, recusou-se a reconhecer os resultados.

    Manifestantes protestam contra o presidente Evo Moralez nas ruas de La Paz, capital da Bolívia
    © REUTERS / Marco Bello
    Manifestantes protestam contra o então presidente Evo Moralez nas ruas de La Paz, capital da Bolívia

    No dia 10 de novembro, as Forças Armadas bolivianas instaram Morales a renunciar em nome da estabilidade do país. Como resultado, ele renunciou no mesmo dia e deixou o país. As mais altas autoridades da Bolívia também se demitiram. Os poderes presidenciais foram temporariamente transferidos para a segunda vice-presidente do Senado, da oposição, Jeanine Áñez.

    Protestos em massa

    Em 21 de janeiro, protestos em massa eclodiram na Venezuela logo após a posse presidencial de Maduro, seguida pela autoproclamação de Guaidó como presidente interino do país.

    Vários países ocidentais, incluindo o Brasil e Estados Unidos, anunciaram o reconhecimento do Guaidó. A Rússia, China, Turquia e vários outros países apoiaram Maduro como sendo o presidente legítimo.

    Mais:

    Representantes de Guaidó conseguem acesso à embaixada venezuelana no Brasil
    Evo Morales acusa EUA de 'conspiradores' e pede para Papa Francisco e ONU mediarem crise na Bolívia
    Argentina reconhece embaixadora de Guaidó reforçando ruptura com Maduro
    Tags:
    diplomatas, Bolívia, Venezuela, Nicolás Maduro, Evo Morales, Juan Guaidó
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar