13:40 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ambulância transportando uma mulher deixa a embaixada da Venezuela em Brasília.

    Invasão da embaixada: Venezuela diz que episódio é 'vergonha' para Itamaraty

    © REUTERS / Sergio Moraes
    Américas
    URL curta
    102511
    Nos siga no

    O governo da Venezuela reagiu nesta quarta-feira (13) à invasão de sua embaixada em Brasília. Segundo Caracas, o episódio representa uma quebra no "prestígio da diplomacia brasileira".

    "Que vergonha para Itamaraty, antes uma referência para a Diplomacia Mundial, endossar o ataque violento a uma embaixada de um país soberano, a poucos quarteirões da sede onde hoje é realizada a reunião BRICS. Adeus ao prestígio da diplomacia brasileira!", disse o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza.

    A Venezuela também emitiu uma nota em que classifica a reação das autoridades brasileiras como "passiva" em suas "obrigações de proteção das sedes diplomáticas e de seu pessoal" e ressaltou as obrigações da Convenção de Viena. Caracas prometeu acompanhar "a evolução desta situação insólita". 

    Seguidores do autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, invadiram a embaixada venezuelana em Brasília nesta quarta-feira (13). Policiais Militares e pessoal do Itamaraty estão no local acompanhando a situação, mas fonte ouvida pela Sputnik Brasil afirma que as autoridades brasileiras não pretendem retirar os invasores da instalação diplomática. 

    Mais:

    Deputada venezuelana: 'golpe' na Bolívia é armação dos EUA e tem Venezuela na mira
    Em meio à crise na Bolívia, manifestantes invadem embaixada da Venezuela (VÍDEO)
    Exército leal: por que cenário de renúncia presidencial na Bolívia não ocorreu na Venezuela?
    Ex-chefe de inteligência da Venezuela desaparece na Espanha após decisão de extradição para EUA
    PM detém suposto líder de invasão da embaixada venezuelana
    Tags:
    Itamaraty, BRICS, Jorge Arreaza, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar