12:33 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ex- chefe de inteligência da Venezuela, Hugo Carvajal, teve que se reitrar do país no início deste ano, após aliar-se a Juan Guaidó

    Ex-chefe de inteligência da Venezuela desaparece na Espanha após decisão de extradição para EUA

    © AP Photo / Fernando Llano
    Américas
    URL curta
    852
    Nos siga no

    O ex-chefe do serviço de inteligência militar venezuelano, general Hugo Armando Carvajal, desapareceu de sua casa em Madri, após um tribunal espanhol aprovar sua extradição para os EUA nesta sexta-feira (8).

    Após a decisão, a polícia emitiu ordem de prisão contra o general, mas não foi capaz de localizá-lo em sua residência na capital espanhola.

    "Estão procurando por ele", disse a porta-voz da polícia espanhola se referindo a Armando Carvajal.

    O general serviu como chefe da inteligência venezuelana durante os governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, mas fugiu do país no início deste ano, após declarar lealdade ao líder oposicionista e presidente autoproclamado Juan Guaidó.

    Os meios de comunicação hegemônicos modificaram sua narrativa em torno de Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana: passaram a chamá-lo de presidente interino para presidente autoproclamado com o fracasso de sua estratégia apoiada pelos EUA
    © Sputnik / Stringer
    Os meios de comunicação hegemônicos modificaram sua narrativa em torno de Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana: passaram a chamá-lo de "presidente interino" para "presidente autoproclamado" com o fracasso de sua estratégia apoiada pelos EUA

    Na ocasião, o general, também conhecido como "El Pollo" (O Frango), fugiu de barco para a República Dominicana, de onde seguiu para a Espanha, conforme reportou a agência AFP.

    Os EUA solicitam a extradição do ex-espião, acusando-o de associação com a guerrilha colombiana, FARC, para traficar cocaína para o território norte-americano.

    Processo de extradição para os EUA

    Em setembro deste ano, a Corte Nacional da Espanha havia rejeitado o pedido de extradição dos EUA e liberado o ex-chavista, que se encontrava em prisão preventiva desde abril do corrente.

    Nesta sexta-feira (8), no entanto, a corte reverteu a sua decisão ao aceitar um recurso da procuradoria. Os detalhes do pedido de recurso não foram divulgados.

    O ex-chefe da inteligência venezuelana, Armando Carvajal, é fotografado ao lado do presidente Nicolás Maduro. Carvajal teve que deixar o país após jurar lealdade a Juan Guaidó
    © AP Photo / Presidencia da Venezuela
    O ex-chefe da inteligência venezuelana, Armando Carvajal, é fotografado ao lado do presidente Nicolás Maduro. Carvajal teve que deixar o país após jurar lealdade a Juan Guaidó

    A advogada de Armando Carvajal, María Dolores de Arguelles, diz desconhecer o seu paradeiro e declarou que ela "não foi informada" da decisão de sexta-feira.

    Ligações com o tráfico de drogas

    Armando Carvajal é procurado pelos EUA, que o acusam de ligações com a guerrilha colombiana FARC e com o tráfico de drogas.

    Em 2011, uma corte do estado de Nova York acusou Carvajal de traficar 5,6 toneladas de cocaína da Venezuela para o México com a intenção de transportá-la para os EUA.

    De acordo com fontes do judiciário espanhol ouvidas pela AFP, o general nega as acusações.

    Caso seja extraditado e condenado nos EUA, o general poderia receber pena de 10 anos a prisão perpétua, declarou o Departamento de Estado dos EUA em abril do corrente.

    Mais:

    Maduro: 'querem desestabilizar Bolívia com mesma fórmula aplicada contra Venezuela'
    Polícia da Venezuela destrói aeródromo de cartel de drogas na fronteira com Colômbia (FOTOS)
    Em meio à crise na Bolívia, manifestantes invadem embaixada da Venezuela (VÍDEO)
    Tags:
    narcotráfico, espionagem, Espanha, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar