00:29 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    13244
    Nos siga no

    Em entrevista ao Financial Times, o secretário da Marinha dos Estados Unidos, Richard Spencer, reconheceu e demonstrou "preocupação" em relação à dependência dos EUA de peças russas para seus navios.

    Segundo a autoridade americana, a linha de suprimento de peças para navios da Marinha norte-americana seria "frágil" devido à dependência de peças produzidas na Rússia e China.

    Conforme disse em entrevista ao jornal Financial Times, Richard Spencer vê seu país no meio de uma "competição de grandes potências", tendo como rivais "a Rússia e a China em primeiro lugar". No entanto, a presença de produtos de ambos os países em navios americanos seria "preocupante" para Spencer.

    "Do nada [Rússia e China estão] na sua linha de suprimento [de peças], o que não é do interesse [do setor militar]", declarou Spencer.

    Tecnologia própria

    Spencer defende que a Marinha americana utilize unicamente componentes feitos nos EUA para meios de defesa.

    No entanto, convencer fornecedores a desenvolver componentes de defesa para os EUA seria difícil, segundo mídia.

    "Dificilmente nesta situação conseguiremos convencer os fornecedores nacionais de que o negócio deles será sustentável, caso eles invistam na produção [de componentes] com base nas encomendas do Pentágono", escreveu a mídia.

    Algumas empresas americanas já recusaram participar de projetos militares dos EUA, como o Google, que recusou a proposta de desenvolver sistemas de inteligência artificial para a análise de vídeos feitos por drones de vigilância.

    O projeto também foi rejeitado pela SpaceX e Tesla, do magnata Elon Musk.

    Mais:

    Marinha dos EUA apresenta projeto de 'reator de fusão revolucionário'
    Marinha dos EUA instala 1º laser de combate no navio USS Portland
    Congressista americano parabeniza Marinha dos EUA com FOTO de cruzador russo
    Tags:
    dependência, navios de guerra, China, Rússia, Marinha dos EUA, tecnologia militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar