09:05 24 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4815
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, divulgou um comunicado nesta segunda-feira, classificando a recente renúncia do presidente boliviano Evo Morales de "momento significativo para a democracia no Hemisfério Ocidental".

    A declaração de Trump ocorre depois de Evo Morales ter anunciado renúncia do cargo presidencial, no dia 10 de novembro, após pressão nas ruas e dos militares.

    "Após quase 14 anos e sua recente tentativa de anular a constituição boliviana e a vontade do povo, a partida de Morales preserva a democracia e abre caminho para que o povo boliviano tenha suas vozes ouvidas", diz o comunicado divulgado pela Casa Branca.

    "Os Estados Unidos aplaudem o povo boliviano por exigir liberdade e os militares bolivianos por cumprirem seu juramento de proteger não apenas uma pessoa, mas a constituição da Bolívia", acrescentou a nota.

    "Esses eventos enviam um forte sinal aos regimes ilegítimos da Venezuela e da Nicarágua de que sempre prevalecerão a democracia e a vontade do povo. Estamos agora um passo mais perto de um hemisfério ocidental completamente democrático, próspero e livre", conclui o comunicado.

    O país sul-americano vive momentos de instabilidade depois de relatos de fraudes eleitorais durante o pleito presidencial, realizado em outubro. A tese sobre fraudes eleitorais foi reforçada pelo recente relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA), que encontrou "manipulações claras" do sistema de votação usado nas eleições presidenciais.

    Além de Morales, o vice-presidente da Bolívia, Álvaro Garcia, e a presidente do Senado, Adrianna Salvatierra, e Victor Borda, presidente da Câmara Baixa do Parlamento, também renunciaram.

    Atualmente, a líder da oposição, Jeanine Áñez Chávez, assumirá as rédeas como líder interina da Bolívia.

    Áñez Chávez indicou que novas eleições devem ser realizadas até 22 de janeiro de 2020.

    Tags:
    EUA, Donald Trump, Bolívia, Evo Morales
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar