14:49 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestante com máscara durante protesto em Santiago, no Chile. Foto de outubro de 2019.

    Chile prolonga toque de recolher; protestos já deixaram 4 mortos

    © AP Photo / Esteban Felix
    Américas
    URL curta
    7134
    Nos siga no

    A quarta pessoa morreu no Chile após a erupção de protestos e saques depois do aumento do preço nas tarifas de transporte público e as autoridades anunciaram neste domingo (20) o segundo dia seguido de toque de recolher.

    As vítimas fatais dos protestos aconteceram no incêndio de um supermercado que foi saqueado. 

    O Chile enfrenta protestos de grandes proporções desde 6 de outubro, quando as autoridades aumentaram as tarifas de metrô. Os manifestantes incendiaram várias estações de metrô, além de ônibus e prédios de escritórios.

    Diante da pressão popular, o presidente Sebastián Piñera cancelou o aumento nos preços do transporte público, declarou estado de emergência e toque de recolher na capital Santiago e em outras cinco cidades.

    O metrô de Santiago não está operando neste final de semana.

    Segundo o ministro do Interior chileno, Andrés Chadwick, mais de 700 manifestantes foram detidos durante os distúrbios durante a madrugada de sábado para domingo (20). Ainda de acordo com Chadwick, já são 62 policiais e 11 civis feridos. 

    Mais:

    Chile declara estado de emergência após uma semana de protestos
    Incêndio no Chile afeta edifício de companhia elétrica durante protestos (FOTOS)
    Protestos violentos continuam em Santiago, Chile (VÍDEOS)
    Presidente do Chile suspende aumento das passagens do metrô após pressão popular
    Tags:
    Sebastián Piñera, passagem, protesto, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar