07:52 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Agentes de polícia patrulhando as ruas de Quito durante violentos protestos contra o governo de Lenín Moreno

    Presidente equatoriano declara toque de recolher em distritos governamentais

    © REUTERS / Daniel Tapia
    Américas
    URL curta
    331
    Nos siga no

    A ordem impede o acesso do público a áreas próximas a prédios do governo e instalações estratégicas no país entre 20h e 5h, enquanto um estado nacional de emergência permanece em vigor.

    O presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou nesta terça-feira (8) o toque de recolher após quase uma semana de violentos protestos anti-austeridade que eclodiram no país latino-americano.

    Moreno já havia declarado na última quinta-feira um estado de emergência em todo o país após as manifestações, além de mudar temporariamente a sede do governo para a cidade costeira de Guayaquil.

    O decreto de terça-feira seguiu os últimos confrontos entre policiais e manifestantes em torno do edifício do Congresso do Equador na capital Quito.

    Manifestantes chegaram a conseguir invadir o prédio da Assembleia Nacional do Equador, na capital Quito, nesta terça-feira. Os policiais reagiram com bombas de efeito moral e conseguiram retirar os manifestantes posteriormente. O prédio estava vazio, sem funcionários e parlamentares.

    Mais:

    Países latino-americanos acusam Maduro de estar por trás de manifestações no Equador
    Manifestantes invadem prédio do Parlamento do Equador e são retirados pela polícia
    Equador transfere sede do governo de Quito para Guayaquil
    Tags:
    protesto, Lenin Moreno, decreto, manifestação, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar