06:11 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Linha de montagem da GM.

    Greve de trabalhadores da GM nos EUA já custou US$ 1 bilhão à montadora

    © AP Photo / Paul Sancya
    Américas
    URL curta
    3154
    Nos siga no

    A greve dos trabalhadores da General Motors, agora em sua terceira semana, custou à montadora cerca de US$ 1 bilhão até o momento, segundo estimativa divulgada nesta terça-feira (1).

    A greve, articulada pela United Auto Workers, interrompeu a produção nos Estados Unidos imediatamente e as instalações canadenses e mexicanas foram progressivamente afetadas logo depois, afirma relatório do JPMorgan Chase.

    O custo total "provavelmente ultrapassará US$ 1 bilhão neste momento", afirmou o relatório, acrescentando que a empresa tem potencial para recuperar parte dos lucros perdidos no quarto trimestre, se a greve terminar em breve.

    Quase 50 mil trabalhadores da GM estão com os braços cruzados desde 16 de setembro. A maior empresa automobilística dos Estados Unidos está parada porque direção e trabalhadores discordam em pontos como salário, benefícios de saúde e regras para contratos.

    A greve também afetou fornecedores do setor automotivo, como as empresas Lear, Tenneco e American Axle & Manufacturing.

    Há, também, negociações trabalhistas em curso entre diretoria e trabalhadores da Ford e da Fiat Chrysler.

    Mais:

    Greve dos Correios vai para o Tribunal Superior do Trabalho
    Sem acordo, trabalhadores da GM nos EUA poderão entrar em greve
    Greve Global Pelo Clima contagia multidões pelo mundo e toma conta do Twitter
    Capitais brasileiras participam da Greve Mundial Pelo Clima
    Trabalhadores da Embraer entram em greve
    Tags:
    General Motors, greve, Donald Trump, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar