17:48 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Polícia reprimindo um protesto na Nicarágua em abril de 2018

    Nicarágua: oposição assume responsabilidade por 'ações militares' após explosões

    © AP Photo / Alfredo Zuniga
    Américas
    URL curta
    415
    Nos siga no

    Um grupo da oposição nicaraguense reivindicou hoje a autoria de "ações militares" após uma série de pequenas explosões atingirem o país, incluindo a que danificou uma ponte que leva ao porto mais importante da Nicarágua.

    Por volta das 20h do último sábado, segundo testemunhas ouvidas pela Reuters, uma explosão atingiu a ponte que liga a cidade portuária de Corinto, no departamento de Chinandega, ao restante do país, provocando sérios danos à estrutura. O incidente foi acompanhado de outros semelhantes, na capital, Manágua, e no município próximo de Masaya. 

    Última hora: uma forte explosão foi registrada na ponte San Isidro, na estrada El Realejo-Corinto. Segundo uma fonte no oeste do país, a ponte está rachada e a Polícia e os Bombeiros estão no local.

    ​Nenhuma das explosões, ao que tudo indica, resultou em vítimas ou estragos mais sérios. E, até o momento, não há informações definitivas sobre quem estaria por trás dos atentados e por quais motivos. Entretanto, a organização opositora Aliança Patriótica Nicaraguense (APN) afirmou ter realizado "uma série de ações de natureza militar" ontem.

    "Todas essas ações são realizadas e continuarão sendo realizadas no restante do mês de setembro, outubro e nos próximos meses, até que a ditadura tenha um fim", afirmou o grupo em comunicado reproduzido pela Reuters.

    A Nicarágua se encontra mergulhada em uma crise política desde que eclodiram manifestações contra o governo do presidente Daniel Ortega, em abril de 2018, devido ao anúncio de cortes planejados em benefícios sociais.

    Esses protestos foram aumentando de intensidade ao longo do tempo, levando a conflitos violentos que resultaram em mais de 300 mortes e forçaram milhares de pessoas a deixar o país. Ainda hoje, um grande número de opositores segue protestando pela renúncia de Ortega e de seu governo.

    Mais:

    Pompeo: EUA seguirão ajudando Cuba e Nicarágua no caminho para a democracia
    Governo da Nicarágua e oposição discutem liberação de presos políticos
    Cuba, Nicarágua e Venezuela podem ser próximas vítimas da OTAN, adverte mídia
    Venezuela é laboratório dos EUA antes de 'ataques' contra Cuba e Nicarágua, diz oficial russo
    Tags:
    renúncia, Reuters, atentados, explosões, opositor, manifestações, protestos, Manágua, Daniel Ortega, Nicarágua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar