18:15 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5162
    Nos siga no

    O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou que serão realizados exercícios militares na fronteira do país com a Colômbia de 10 a 28 de setembro, após afirmar que Bogotá representa "ameaça de agressão".

    Depois de declarar "alerta laranja" diante da ameaça colombiana, Maduro deu ordem às Forças Armadas e a todas as unidades militares de fronteira para realizar as manobras em grande escala, que ele chamou de "Soberania e Paz".

    "Vamos tomar uma série de medidas para garantir a paz e a soberania, ordenei ao Comandante Estratégico Operacional da Força Armada Nacional Bolivariana e a todas as unidades militares da fronteira que declarem um alerta laranja diante da ameaça de agressão da Colômbia contra a Venezuela, e que comecem [...] em 10 de setembro, até 28 de setembro, os exercícios militares 'Soberania e Paz'", disse o líder venezuelano em uma transmissão no Twitter

    No dia 31 de agosto, o governo venezuelano apresentou evidências do que chamou de campos de treinamento paramilitares na Colômbia, que estariam sendo usados para treinar pessoas para supostamente planejar ataques violentos na Venezuela.

    O líder venezuelano também acusou o presidente colombiano Iván Duque de montar "falsos positivos" para iniciar um conflito militar.

    Escalada de tensões

    O ministro venezuelano das Comunicações, Jorge Rodríguez, mostrou na televisão estatal imagens de satélite dos supostos campos e acusou Duque de não fazer nada para impedir a agressão contra Caracas.

    As duas nações vizinhas se acusam regularmente de apoiarem milícias antigovernamentais.

    Militares venezuelanos fazem cordão de isolamento na ponte Simón Bolívar, que conecta a Venezuela com a Colômbia
    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Militares venezuelanos fazem cordão de isolamento na ponte Simón Bolívar, que conecta a Venezuela com a Colômbia

    As manobras militares ocorrerão em comemoração do 14º aniversário da criação do Comando Estratégico Operacional das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas (CEOFANB) para "sintonizar todo o sistema de armas" e garantir que a Venezuela "preserva sua segurança, paz e tranquilidade", complementou Maduro.

    Mais:

    Venezuela enfrenta 'guerra subterrânea' para desmembrar o país, acusa Maduro
    Maduro acusa ex-presidente colombiano de querer assassiná-lo
    Governo Maduro diz que Colômbia tem plano de realizar atentado contra a Venezuela
    Tags:
    Nicolas Maduro, Força Armada Nacional Bolivariana, exercício militar, Colômbia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar