19:20 16 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Diosdado Cabello em 2013

    Número 2 do chavismo diz que invasão dos EUA na Venezuela é 'provável'

    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Américas
    URL curta
    17208
    Nos siga no

    O vice-presidente venezuelano do Partido Socialista, Diosdado Cabello, previu neste sábado (27) que os fuzileiros navais americanos "provavelmente" entrarão no país sul-americano.

    "Somos poucos, somos um país pequeno, somos muito humildes e é provável que entrem os fuzileiros navais dos EUA. É provável que eles entrem", disse Cabello durante a 25ª edição do Foro de São Paulo, que está acontecendo em Caracas. "O problema deles será sair da Venezuela."

    As tensões entre os EUA e a Venezuela aumentaram este ano desde que Juan Guaidó, líder da Assembléia Nacional, se autodeclarou presidente interino argumentando que o mandato do presidente Nicolás Maduro não é legítimo. 

    Cabello preside a Assembleia Constituinte, um superintendente legislativo leal a Maduro que não é reconhecido pela oposição. Ele é amplamente visto como o segundo oficial mais poderoso do governo da Venezuela, depois de Maduro.

    Os militares dos EUA acusaram um caça venezuelano de sobrevoar "agressivamente" um avião da Marinha dos EUA no espaço aéreo internacional sobre o Mar do Caribe em 19 de julho. O governo da Venezuela diz que uma "aeronave de reconhecimento e inteligência" entrou em seu espaço aéreo.

    O Pentágono não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre as observações de Cabello.

    Mais:

    Venezuela: Araújo minimiza discordância com Lavrov e acredita em aproximação entre Brasil e Rússia
    Em reunião do BRICS, Araújo e Lavrov discordam sobre Venezuela
    Maduro: Venezuela diversifica economia para sair da dependência do petróleo
    Lavrov diz que BRICS apoia negociações em Oslo sobre Venezuela
    Venezuela deve renovar forças produtivas para país poder se recuperar, afirma Maduro
    Tags:
    Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar