05:16 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Jorge Rodriguez, ministro da Informação venezuelano

    Guarda-costas presos de Guaidó usaram armas roubadas em tentativa de golpe, diz Caracas

    © AFP 2019 / Federico Parra
    Américas
    URL curta
    141

    O ministro da Informação venezuelano, Jorge Rodriguez, disse que os guarda-costas de Juan Guaidó, detidos no início do dia por roubo de armas estatais, usaram as armas roubadas durante o golpe fracassado em abril e pretendiam vendê-las.

    No sábado, o líder da oposição venezuelana, Juan Guaido, informou no Twitter que seus guarda-costas foram "sequestrados" pelo atual presidente Nicolás Maduro em Caracas. Um dia antes, após conversações de três dias em Barbados e vários esforços anteriores de mediadores internacionais, o governo e a oposição concordaram em se engajar em negociações para normalizar a situação política no país.

    "Eles pretendiam vender as armas que haviam roubado do arsenal das Forças Armadas Nacionais da Bolívia e o usaram para tentar um golpe em 30 de abril", revelou Rodriguez em entrevista coletiva.

    Ele acrescentou que uma investigação de um mês descobriu que Erick Sanchez, Eduardo Gonzales e Jason Parisi planejavam arrecadar pelo menos US$ 35 mil para os canhões AK-103 roubados pertencentes às Forças Armadas especiais do país.

    A Venezuela entrou em uma crise política turbulenta depois que Guaidó proclamou-se presidente interino em janeiro. Vários países, incluindo os Estados Unidos, o endossaram como líder da Venezuela e conclamaram Maduro a renunciar.

    Maduro, por sua vez, acusou os Estados Unidos de tentarem orquestrar um golpe no país e levar Guaidó ao poder.

    Mais:

    Noruega anuncia nova rodada de diálogo entre governo da Venezuela e oposição
    EUA fracassam em intervir na Venezuela, assegura Evo Morales
    Moscou: presença de especialistas russos na Venezuela não altera balanço de forças na região
    Tags:
    venda de armas, crise na venezuela, diplomacia, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Jorge Rodríguez, Bolívia, Estados Unidos, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar