10:32 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin se reúne com seu colega boliviano Evo Morales no Kremlin em Moscou, Rússia, 11 de julho de 2019

    Presidente boliviano destaca importância da presença da Rússia na América Latina

    © REUTERS / Kirill Kudryavtsev / Pool
    Américas
    URL curta
    5322
    Nos siga no

    O presidente boliviano, Evo Morales, destacou nesta quinta-feira (11) a importância da presença da Rússia na América Latina para combater a interferência dos EUA através das Forças Armadas.

    "O mais importante é a presença da Rússia na América Latina", afirmou Morales à Sputnik.

    "Os Estados Unidos, com alguns países aliados e mediante suas Forças Armadas, arquitetaram de 2017 a 2027 missões e movimentos entre Forças Armadas, ações para supostamente não permitir a presença da Rússia e da China na América Latina", complementou o líder bolivariano.

    Previamente, durante um encontro com o presidente do Suriname, Dési Bouterse, o líder boliviano afirmou que seu governo não "compartilha com intervencionistas e líderes de golpe, como na Venezuela, que não resolverá nada para os venezuelanos, nem para os latino-americanos".

    Morales ainda disse que lamenta que alguns países latino-americanos apoiem a política dos EUA em relação à Venezuela, que inclui um bloqueio econômico.

    Visita do líder boliviano à Moscou

    Após a visita ao Suriname, o presidente da Bolívia seguiu viagem para a capital russa, onde está sendo recebido nesta quinta-feira (11) pelo líder russo Vladimir Putin para revisar os acordos de cooperação.

    Ambos os líderes já debateram o estado atual das relações entre ambos os países, bem como a cooperação nos setores comercial, econômica e humanitária.

    Cooperação militar

    Quanto à cooperação militar, Morales ratificou a intenção do seu país de adquirir equipamento militar russo, especialmente helicópteros para apoiar o trabalho da Defesa Civil.

    "A Força Aérea recomenda a compra de tecnologia da Rússia, para a Defesa Civil, porque há inundações e desastres naturais", disse o presidente da Bolívia e acrescentou que, em particular, seriam helicópteros.

    Ele também destacou que a Bolívia espera coordenar sua doutrina militar anti-imperialista com a da Rússia.

    Evo Morales, presidente da Bolívia, em Moscou
    © Sputnik / Sergei Guneev
    Evo Morales, presidente da Bolívia, em Moscou

    "Eu criei uma escola militar anti-imperialista, eu gostaria que esta doutrina - que é nacionalista, anti-imperialista nas Forças Armadas - fosse compartilhada com a doutrina das Forças Armadas da Rússia", disse o líder sul-americano durante entrevista.

    Mais:

    EUA fracassam em intervir na Venezuela, assegura Evo Morales
    Problemas da Venezuela não serão resolvidos com intervenção ou com golpe, diz Evo Morales
    Guaidó faria Venezuela regressar aos tempos coloniais, afirma Evo Morales
    Tags:
    Vladimir Putin, Evo Morales, América Latina, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar