06:34 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Caixas de medicamentos e equipamentos médicos doados pela Rússia à Venezuela no aeroporto de Caracas

    Moscou considera 'inaceitável' pressão dos EUA sobre relação com a Venezuela

    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Américas
    URL curta
    3200
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (10), o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, afirmou que Moscou considera inaceitável a pressão dos Estados Unidos sobre a interação entre Rússia e Venezuela.

    A declaração de Ryabkov veio durante diálogo com o subsecretário de Estado dos EUA para Asssuntos Políticos, David Hale, em Helsinque.

    "Entendemos o desejo [dos EUA] de superestimar esse fator [a presença de especialistas russos na Venezuela] para fins políticos, como um pretexto para continuar a linha dura com relação ao governo do [presidente Nicolás] Maduro. Para nós, esta linha é inaceitável. Falamos abertamente aos americanos sobre isso", disse Ryabkov.

    A Venezuela segue imersa em uma crise política desde que o líder da oposição, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino do país, no final de janeiro.

    Desde então, Guaidó vem sendo apoiado pelos Estados Unidos e seus principais aliados.

    Já a Rússia, assim como China, Índia, Turquia e outros países, reconhece apenas a presidência de Maduro como legítima.

    O atual presidente da Venezuela considera Guaidó um fantoche de Washington e acredita que os EUA querem tirá-lo do poder para ter controle sobre os recursos naturais venezuelanos.

    Mais:

    Venezuela ensaia desfile do Dia da Independência – Fotos
    Guaidó chama Maduro de 'ditador' em meio a discurso de reconciliação na Venezuela
    Noruega anuncia nova rodada de diálogo entre governo da Venezuela e oposição
    Moscou: fornecimento de armas russas para Venezuela nunca afetou equilíbrio de forças na região
    Tags:
    Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Sergei Rybakov, Estados Unidos, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar