01:31 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Robert Mueller, ex-diretor do FBI

    Assessor dos EUA que investigou suposta interferência russa vai depor em julho

    © REUTERS / Jason Reed
    Américas
    URL curta
    3 0 0
    Nos siga no

    O assessor especial dos EUA, Robert Mueller, concordou em testemunhar em 17 de julho sobre seu relatório acerca da suposta interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016, disseram nesta terça-feira os Comitês Judiciário e de Inteligência da Câmara.

    "Robert Mueller concordou em testemunhar perante o Congresso de acordo com a intimação", anunciou Adam Schiff, presidente do comitê de inteligência, no Twitter.

    "A Rússia atacou nossa democracia para ajudar Trump a vencer. Trump deu as boas-vindas e usou essa ajuda. Como Mueller disse, isso deve preocupar todos os americanos. E agora, todo americano ouvirá diretamente de Mueller", acrescentou.

    Em abril, Mueller publicou um relatório sobre uma suposta intromissão russa na eleição presidencial de 2016. Em um dos principais pontos do documento, ele afirmou que os encontros entre membros da equipe de Trump com cidadãos russos não poderiam ser classificados como conluio.

    O resultado agradou Trump, mas alguns democratas advogaram pelo início de um processo de impeachment contra o presidente dos EUA.

    Mais:

    Trump envia carta pessoal a Kim Jong-un
    Trump admite não se importar com opinião da Europa sobre acordo nuclear com Irã
    'Qualquer ataque do Irã será recebido com uma força grande e esmagadora', escreve Trump
    Tags:
    depoimento, interferência russa, russiagate, democratas, Adam Schiff, Robert Mueller, Donald Trump, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar