12:29 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    American Airlines

    Administração Federal de Aviação dos EUA proíbe voos sobre o Irã

    © flickr.com/ InSapphoWeTrust
    Américas
    URL curta
    307

    A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) emitiu na quinta-feira (20) uma ordem de emergência proibindo as companhias aéreas norte-americanas de sobrevoarem o espaço aéreo controlado por Teerã no estreito de Ormuz e no Golfo de Omã devido ao aumento das tensões com os EUA.

    Em um comunicado à parte para as empresas aéreas norte-americanas, a FAA informou que o avião civil mais próximo estava voando a cerca de 45 milhas náuticas de um drone Global Hawk no momento em que este foi abatido por um míssil terra-ar iraniano na quinta-feira (20), informou a agência Reuters.

    "Havia inúmeras aeronaves de aviação civil operando na área no momento da interceptação", disse a FAA, conforme citada pela Reuters.

    Mais cedo, a United Airlines cancelou todos os vôos entre o aeroporto de New Jersey, em Newark, e a capital financeira indiana de Mumbai, após uma revisão de segurança. A revisão veio em reação à medida do Irã de derrubar um drone de vigilância dos EUA.

    No mês passado, a agência de aviação dos EUA aconselhou todas as empresas aéreas dos EUA a adotarem cautela ao sobrevoarem o Irã e áreas próximas, devido ao aumento das atividades militares e da tensão política na região.

    Na quinta-feira (20), a Guarda Revolucionária Islâmica do Irã disse que derrubou um drone de vigilância dos EUA por violar o espaço aéreo do país. A invasão de espaço aéreo foi negada por Washington. Sobre o incidente, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o Irã cometeu um "grande erro", mas depois afirmou que talvez o ataque não tenha sido intencional.

    A tensão entre EUA e Irã tem escalado desde maio de 2018, com a saída unilateral dos EUA do acordo nuclear iraniano, o Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA). A decisão de Trump gerou reimposição de sanções econômicas sobre Teerã, que em maio deste ano respondeu afirmando que deixaria de cumprir parcialmente suas obrigações no acordo. O anúncio veio acompanhado de um prazo de 60 dias para que os países europeus que têm parte no acordo tomem medidas para proteger o JCPOA.

    Mais:

    Trump não controla política sobre o Irã e deveria demitir Bolton, diz conselheira ligada à UE
    Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'
    Trump sobre derrubada de drone norte-americano: 'Irã cometeu um erro muito grande'
    Trump autoriza ataque contra o Irã mas desiste em seguida
    Tags:
    tensão geopolítica, FAA, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar