09:49 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O Templo Satânico apresenta ao público sua estátua de Baphomet durante manifestação em defesa da Primeira Emenda em Little Rock, Arkansas.

    Satanistas vão questionar decisão da Suprema Corte dos EUA que obriga enterro de fetos

    © AP Photo / Hannah Grabenstein
    Américas
    URL curta
    323

    O Templo Satânico informou hoje que vai questionar a decisão da Suprema Corte tomada na terça-feira. Os juízes decidiram manter parte de uma lei do estado de Indiana que exige o enterro ou a cremação de restos fetais, mas os satanistas sustentam que a regra vai contra suas liberdades religiosas e que, por isso, devem ter imunidade.

    De acordo com o Templo Satânico, um de seus princípios fundamentais é a inviolabilidade do corpo.

    “Os membros do Templo Satânico acreditam que o tecido fetal não viável é parte da mulher que o carrega e, como tal, as imposições estatais dos requisitos cerimoniais que ditam o seu descarte, salvo quaisquer preocupações médicas ou sanitárias plausíveis, são uma violação do Exercício Livre da religião. Isso permite aos satanistas contextualizar o término de uma gravidez em seus próprios termos, com referência às suas próprias crenças religiosas”, diz a declaração.

    O porta-voz e cofundador do grupo, Lucien Greaves, disse ao Arkansas Times que o grupo “não será obrigado a pagar por esses enterros punitivos, supérfluos e insultuosos”. 

    "Reivindicamos uma isenção por motivos de liberdade religiosa, e quase certamente prevaleceremos nos tribunais se formos forçados a lutar", declarou.

    Outro membro do Templo Satânico também desafiou, com base na liberdade religiosa, uma lei do Missouri que diz que as mulheres devem comunicar a decisão de realizar um aborto e aguardar três dias até poder fazer o procedimento, informou a Associated Press. O tempo regulamentado na lei é usualmente chamado de "período de consciência" e serve para que a mulher reflita sobre a decisão após ser informada de todas as opções possíveis, incluindo os serviços de adoção e de ajuda financeira governamental.

    A organização, que não adora o Satanás da Bíblia e o escolher apenas como seu símbolo para promover o ceticismo pragmático, é conhecida por sua defesa vocal pela separação entre Igreja e Estado.

    Mais:

    Vice-presidente dos EUA 'realmente me assusta', relata cofundador do Templo Satânico
    Advogados: escola primária nos EUA deve permitir clube satânico depois das aulas
    Tags:
    Associated Press, Templo Satânico, Lucien Greaves, Missouri, Indiana, Arkansas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar