22:03 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acompanhado pelo ministro da Defesa, general Vladimir Padrino Lopez e pelo comandante das Operações Estratégicas, almirante Remigio Ceballos, chegam para um encontro com as tropas de Fort Tiuna, em Caracas.

    Maduro apela aos venezuelanos a estarem prontos para combate contra Washington

    © AP Photo / Assessoria de Imprensa do Miraflores / Jhonn Zerpa
    Américas
    URL curta
    7142
    Nos siga no

    O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, apelou aos venezuelanos a estarem prontos para uma batalha contra os EUA, após estes ameaçarem sancionar os Comitês Locais de Abastecimento e Produção (CLAP).

    "Esta é uma guerra do império dos EUA contra a felicidade social, econômica e política de nosso povo, e os derrotaremos com unidade, estudo e trabalho, por amor à Pátria", escreveu o presidente venezuelano na sua conta no Twitter.

    Anteriormente, o governo dos EUA ameaçou impor sanções contra o programa alimentar do CLAP.

    O CLAP é um programa do governo venezuelana criado para lidar com a falta de alimentos e distribuir produtos da cesta básica nas comunidades, a baixo custo.

    A Venezuela tem lidado com uma grave crise política, com o líder da oposição, Juan Guaidó, tendo se proclamado presidente interino do país em 23 de janeiro.

    Os EUA e vários países da Europa e América Latina, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente interino do país.

    A Rússia, China, Cuba, Bolívia, Nicarágua, Turquia, México, Irã e muitos outros países manifestaram seu apoio a Maduro como presidente legítimo e exigiram que os outros países respeitem o princípio de não interferência nos assuntos internos venezuelanos.

    Mais:

    Chanceler brasileiro diz que queda de Maduro na Venezuela é 'questão de tempo'
    Venezuela vai criar rede 4G com ajuda de empresas chinesas e russas, diz Maduro
    Tags:
    conflito, EUA, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar