07:34 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Donald Trump

    Trump afirma que China não será uma superpotência 'com ele' no poder

    © AP Photo/ Susan Walsh
    Américas
    URL curta
    40537
    Nos siga no

    A afirmação chega quando os dois países têm estado a tentar resolver suas divergências após a última decisão de Trump, em junho passado, de impor tarifas de 25 por cento sobre mercadorias chinesas no valor de US$ 50 bilhões, tentando assim resolver o déficit comercial entre os EUA e a China.

    Desde então os dois países já passaram por várias rodadas de novas taxas aduaneiras na sua guerra comercial.

    Em uma entrevista ao Fox News, o presidente americano Donald Trump destacou que estava ''muito contente" com a briga comercial entre Washington e Pequim, e que embora a China queira ser a maior superpotência mundial isso "não irá acontecer comigo".

    "A nossa economia tem sido fantástica. Porque eles estavam nos apanhando, eles iriam ser maiores que nós. Se Hillary Clinton fosse presidente, a China teria uma economia muito maior que a nossa no fim do mandato dela. Agora, nem vai estar perto", disse Trump.

    Ao ser perguntado sobre o possível fim da guerra comercial entre os dois países, ele disse que "estamos a falar de bilhões de dólares. A China obviamente não está tão bem como nós", acrescentando que a economia chinesa "não está em ótimo estado" neste momento.

    Trump postou um tweet na semana passada, segundo o qual Pequim está "sonhando" que o ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden, ou outro candidato democrata, iria se tornar presidente em 2020. Em abril, Joe Biden anunciou que iria participar da corrida presidencial para o Salão Oval em 2020.

    "China sentiu que eles têm sido batidos tão mal nas recentes negociações que bem podem esperar pelas próximas eleições [americanas]", alegou Trump.

    Anteriormente, a última rodada de negociações ente a China e os EUA terminou na cidade de Washington sem as partes terem chegado a qualquer solução. A Casa Branca, por sua vez, introduziu novas tarifas sobre mercadorias chinesas avaliadas em US$ 200 bilhões. Pequim afirmou que iria retaliar contra esta decisão.

    Mais:

    Tensão comercial entre EUA e China 'afunda' mercados emergentes: Brasil atinge pior índice
    Chineses boicotam Apple em meio às tensões com EUA
    Será que yuan chinês poderá substituir dólar como moeda hegemônica?
    Tags:
    tarifas, guerra comercial, EUA, China, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar