01:00 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Jorge Arreaza, ministro das Relações Exteriores da Venezuela, em 12 de agosto de 2017

    Chanceler venezuelano acusa bancos de Portugal de receberem ordens dos EUA

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    10152

    O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, acusou os bancos de Portugal de receberem ordem dos Estados Unidos e subestimou as declarações do seu homólogo, Augusto Santos Silva, a quem garantiu que as entidades financeiras do seu país são independentes do governo.

    "O chanceler de Portugal afirma que no seu país os bancos não recebem ordens do governo português, mas é evidente que na verdade recebem ordens do governo dos EUA. Bloqueiam de maneira criminosa os recursos do povo venezuelano", publicou Arreaza em sua conta no Twitter.

    Na última segunda-feira (13), Santos Silva manifestou que os bancos do seu país não recebem ordens do governo e que os conflitos sejam resolvidos na esfera judicial.

    Em abril do ano passado, o presidente Nicolás Maduro exigiu que o governo de Portugal liberasse mais de 1.700 milhões de dólares que "mantém retidos" e disse que seriam usados para comprar medicamentos.

    ​"Em um banco de Portugal nos sequestraram, onde pagávamos remédios e alimentos, nos sequestraram 1.726 milhões de dólares (…) e eu faço um pedido ao governo de Portugal que liberem os recursos. Porque nos impedem ter acesso a esse dinheiro? É nosso", disse o presidente venezuelano.

    Naquela época, o presidente pediu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a chefe da política externa da União Europeia, Federica Mogherini, liberassem o dinheiro bloqueado no quadro das sanções econômicas impostas a Caracas.

    Tags:
    bancos, Jorge Arreaza, Estados Unidos, Venezuela, Portugal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar