02:21 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Jair Bolsonaro chegando ao encontro no Palácio do Planalto em Brasília (foto de arquivo)

    Venezuela diz na ONU que Bolsonaro 'age de forma criminosa'

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Américas
    URL curta
    17295
    Nos siga no

    A representação da Venezuela na ONU publicou uma nota nesta quarta-feira (1º) aos países-membros da organização acusando o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, junto com 11 autoridades internacionais, de agir de "de forma intervencionista e criminosa" após a convocação do líder oposicionista, Juan Guaidó, para derrubar o governo.

    "Os eventos não foram nada mais do que uma operação midiática de desestabilização apoiada na cumplicidade imediata de forças externas", diz a nota venezuelana às Nações Unidas, citada pela matéria da Folha de S.Paulo

    De acordo com a reportagem, o embaixador Samuel Mancada, que assina a nota, lista os presidentes do Brasil, Colômbia, Argentina, Paraguai, Equador, Panamá, entre outros, acusando-os de agir de "forma intervencionista e criminosa". O comunicado também acusa estes líderes de estimular publicamente militares venezuelanos a seguir o chamado de Guaidó e derrubar Maduro, além de ameaçar abertamente usar a força —caso dos americanos.

    A Venezuela enfrenta uma crise política que começou em janeiro, quando o líder da oposição Juan Guaidó, apoiado pelos EUA, proclamou-se o presidente interino do país em uma tentativa de desafiar a reeleição do presidente Nicolás Maduro.

    Maduro, apoiado pela China e pela Rússia, entre outros, acusou Guaidó de conspirar para derrubá-lo com a ajuda de Washington.

    Juan Guaidó convocou na última terça-feira (30) o povo da Venezuela e o Exército para sair às ruas para concluir a operação para derrubar o presidente da Venezuela.

    Mais:

    Maduro diz que a paz triunfou na Venezuela
    Militares dos EUA negam ter mobilizado tropas para ação contra a Venezuela
    Pressionada, Rússia alerta sobre 'consequências graves' por ações dos EUA na Venezuela
    O que golpe falho causou nas ruas da Venezuela
    Tags:
    intervenção, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Jair Bolsonaro, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar