17:20 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa durante visita às tropas norte-americanas no Iraque.

    'Mal do antissemitismo deve ser derrotado', diz Trump após ataque contra sinagoga

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Américas
    URL curta
    602

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste sábado que o país se solidarizou com a comunidade judaica depois que um atirador abriu fogo em uma sinagoga na Califórnia, matando um e ferindo três pessoas enquanto os fiéis marcavam o último dia da Páscoa.

    "Hoje à noite, o coração da América está com as vítimas das terríveis filmagens na sinagoga na Califórnia, apenas aconteceu", afirmou a seus partidários em um comício em Wisconsin.

    "Toda a nossa nação chora a perda de vidas, reza pelos feridos e se solidariza com a comunidade judaica. Nós condenamos com vigor o mal do antissemitismo e do ódio que deve ser derrotado", acrescentou.

    O tiroteio na cidade de Poway, norte de San Diego, ocorreu exatamente seis meses depois que um supremacista branco matou 11 pessoas na sinagoga Árvore da Vida, em Pittsburgh, no ataque mais violento contra a comunidade judaica na história dos EUA.

    O suspeito foi identificado pela polícia como John Earnest, de 19 anos.

    Em uma carta aberta, Earnest falou sobre seu desejo de defender a linhagem branca.

    Ele também prestou homenagem a Robert Bowers, que estava por trás do ataque à Árvore da Vida, e a Brenton Tarrant, responsável pelos ataques da mesquita de 15 de março em Christchurch, Nova Zelândia, que deixaram 50 mortos.

    Tags:
    violência, Califórnia, San Diego, John Earnest, terrorismo, judeus, Estados Unidos, sinagoga, supremacia branca, antissemitismo, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar