20:33 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, com o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud em Riad, Arábia Saudita, em 21 de maio de 2017

    Trump veta resolução do Congresso que determina a saída dos EUA da guerra do Iêmen

    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Américas
    URL curta
    0 07
    Nos siga no

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em uma carta ao Senado que vetou medida aprovada pelo Congresso para acabar com o envolvimento americano na guerra liderada pelos sauditas no Iêmen.

    "Estou devolvendo sem minha aprovação, a S.J. Res. 7, uma resolução conjunta que pretende obrigar o presidente a retirar as Forças Armadas dos Estados Unidos do conflito ou de ações contra a República do Iêmen", escreveu Trump na terça-feira. "Esta resolução é uma tentativa desnecessária e perigosa de enfraquecer minhas autoridades constitucionais, pondo em risco a vida dos cidadãos americanos e bravos membros em serviço, tanto hoje como no futuro", completa o texto.

    Esta foi a segunda vez desde o início do mandato em 2017 em que Trump usou o poder de veto para rejeitar uma resolução do Congresso. Anteriormente, ele barrou uma medida que revogava sua declaração de emergência nacional na fronteira dos EUA com o México. A questão acabou judicializada.

    A coalizão liderada pela Arábia Saudita está envolvida na guerra civil no Iêmen desde março de 2015, quando começou a realizar ataques aéreos contra os rebeldes armados Houthi a pedido do então presidente iemenita Abd Rabbuh Mansur Hadi.

    Os combates contavam com apoio aéreo e contratos armamentistas com os EUA, mas congressistas republicanos e democratas decidiram encerrar a ajuda após o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi na embaixada saudita em Ancara. A Inteligência dos EUA e a relatoria especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, sumárias ou arbitrárias acusam o príncipe herdeiro, Mohammad bin Salman de encomendar a morte de Khashoggi. Riad nega.

    A guerra civil do Iêmen já matou mais de 7 mil mortes e deixou 20 milhões de pessoas no Iêmen em estado de urgente assistência humanitária, de acordo com estimativas da ONU.

    Tags:
    houthis, Forças Armadas dos Estados Unidos, Congresso dos EUA, Jamal Khashoggi, Mohammad bin Salman, Abd Rabbuh Mansur Hadi, Riade, Estados Unidos, Iêmen, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar