05:09 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente de Venezuela, Nicolás Maduro

    Grupo de Lima pede a saída imediata de Nicolás Maduro do poder da Venezuela

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Américas
    URL curta
    0 39

    O Grupo de Lima se reuniu em Santiago, no Chile, nesta terça-feira (16) e divulgou um comunicado oficial sobre a crise venezuelano, pedindo a saída imediata do presidente Nicolás Maduro.

    De acordo com a nota, o Grupo de Lima reconhece que a Venezuela vive "uma crise humanitária, política, econômica e moral, gerada pelo regime ilegítimo e ditatorial de Nicolás Maduro, que constitui uma ameaça para a paz e a segurança internacionais, com efeitos regionais e globais".

    A organização também pede a saída imediata de Nicolás Maduro do poder. Segundo a organização, a queda do presidente venezuelano, é "condição indispensável para o reestabelecimento da democracia e da ordem constitucional, através de eleições livres, justas e transparentes, com acompanhamento e observação internacional”.

    A Venezuela está envolvida em uma grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela.

    Ao mesmo tempo, numerosos países, incluindo a Rússia, China e Turquia, apoiaram o presidente constitucionalmente eleito, Nicolás Maduro, criticando o amplo apoio ocidental a Guaidó.

    Mais:

    'Algo dramático': EUA saberiam o que devem fazer para conseguir algo na Venezuela?
    Pentágono estaria criando opções para conter 'influência' da Rússia e China na Venezuela
    Brasil e Venezuela dão início a negociações para reabertura da fronteira
    Chanceler colombiano reitera que Grupo de Lima rechaça intervenção militar na Venezuela
    Tags:
    poder, crise, Grupo de Lima, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar